ITAITUBA

Após tentativa de negociação com prefeito Valmir Climaco, indígenas liberam rodovias bloqueadas

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin


A fim de propor negociação com os indígenas manifestantes, o prefeito de Itaituba, Valmir Climaco, juntamente com o Procurador Geral do município, Diego Cajado e o vereador Wescley Tomaz, estiveram in loco do protesto na tarde desta quarta-feira (07). 

Segundo informações, apesar do lançamento de pretensas ações por parte do Poder Executivo Municipal junto ao Governo Federal, quanto às reivindicações apresentadas, não houve fechamento imediato de acordo com as lideranças indígenas, até apresentação de resoluções concretas.

Prefeito Valmir e Procurador Geral do município. Foto: reprodução/redes sociais.
Diante da extensa fila formada sobretudo por carretas que transportam grãos aos portos instalados no distrito de Miritituba, as duas rodovias BR-163 e 230 foram liberadas por volta das 15h desta tarde, com previsão de novo bloqueio para as 22h.

Manifestação

A manifestação liderada por indígenas da etnia Munduruku e Kayapós, teve início na manhã da última sexta-feira (02), no distrito de Campo Verde – Km 30, em Itaituba.

Reivindicações

A manifestação foi difundida com intuito de reivindicar uma provável aprovação do projeto de Lei de N°191/2020 que autoriza e estabelece critérios para a exploração mineral em reservas indígenas, o qual já está tramitando no Congresso Nacional.

Cerca de 150 lideranças indígenas que representam aproximadamente 230 comunidades do Tapajós, estão mobilizados à realização do manifesto.

Tensão

Desde o início do manifesto, vários momentos de tensão já foram registrados, a começar pelo ato de uma indígena, a qual, na última segunda-feira (05), rasgou e queimou em via pública  o documento que determinava o desbloqueio imediato das rodovias. 

A decisão foi proferida pela Justiça Federal na tarde de domingo (04) e assinada pela Juíza Federal Dra. Juíza Federal Dra. Lorena de Sousa Costa, a pedido do Departamento de Infraestrutura e transporte. Por descumprimento, foi estabelecido multa diária de R$ 10 mil.

Ainda somado a isso, na tarde desta terça-feira (06), um grupo de indígenas destruiu e ateou fogo em equipamentos de profissionais de imprensa externos, que planejavam realizar a cobertura da manifestação.


Fonte: Plantão 24horas News

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS