ITAITUBA

Apple pode bloquear apps que não cumprirem novas regras de privacidade

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin


source

Olhar Digital

undefined
Luiz Nogueira

Apple pode bloquear apps que no cumprirem novas regras de privacidade

A partir desta terça-feira (8), a Apple ajudará os usuários a entender as práticas de privacidad e de um aplicativ o antes de baixá-lo em qualquer plataforma da empresa. Para isso, a página de cada app exibirá informações sobre como os dados dos usuários são coletados.


Além disso, outra medida de segurança adotada pela empresa é a de remover aplicativos que não fornecerem aos usuários uma indicação clara de que podem rastreá-los enquanto usam outros apps.

Para ajudar com isso, a empresa criou o App Trancking Transparency , um recurso que exigirá uma notificação pop-up dizendo que o software “gostaria de permissão para rastreá-lo em aplicativos e sites de propriedade de outras empresas”.

“No início do próximo ano, começaremos a exigir que todos os aplicativos que desejam fazer isso obtenham a permissão explícita de seus usuários, e os desenvolvedores que não atenderem esse padrão podem ter seus aplicativos retirados da App Store”, disse Craig Federighi, vice-presidente sênior de engenharia de software da Apple.

Originalmente, essa funcionalidade estava marcada para começar a funcionar este ano. No entanto, a Apple decidiu dar mais um tempo para que os desenvolvedores possam realizar as alterações necessárias para se adequar às novas regras.

Críticas

Obviamente, a iniciativa foi bastante criticada por empresas do setor de publicidade. Alguns acreditam, inclusive, que os usuários se recusarão a conceder essa permissão. Algumas outras companhias de tecnologia também se mostraram contrárias à ideia ao declararem que isso pode prejudicar desenvolvedores menores, como empresas de jogos.

Federighi rebateu as críticas dizendo que, “quando o rastreamento invasivo é o seu modelo de negócios, você tende a não aceitar a transparência e a escolha do cliente”. Resta saber se as empresas conseguirão se adequar a tempo.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS