ITAITUBA

Assalto à mão armada no rio Tapajós, em Itaituba: Associação se pronuncia e pede justiça

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin


A Associação dos Catraieiros do porto Sonda Bar, em Itaituba, veio a público em pronunciamento nesta quinta-feira (24), esclarecer alguns pontos sobre um assalto a mão armada ocorrido na tarde desta segunda-feira (21), no rio Tapajós, e que envolveu um condutor de uma voadeira a qual zarpou do porto citado.

De acordo com o presidente da Associação, Ozimar Porto, a categoria desconhece a identidade do condutor da embarcação apontado como o autor do crime, e que receberam a notícia com total surpresa, já que não costumam cumprir expediente nas segundas-feiras, data de ocorrência do crime. “Espero justiça”, pontuou.

Diante disso, os associados alertam à população para identificações das embarcações e do fardamento padrão que todos da Associação usam, características essas que não continham na embarcação do assaltante. 

Associados em momento de pronunciamento. Foto: reprodução

“Nós trabalhamos com todo equipamento de segurança. Na segunda e gente não faz ponto porque não tem barraca aberta na praia. Aí vem esse cidadão,  aproveitando da nossa ausência pra pegar o pessoal e assaltar”, destacou Francisco Melo, catraieiro.

O caso

Era por volta das 15h30, quando três passageiros, não identificados, fretaram uma voadeira (pequena embarcação) a qual estava ancorada no porto da Sonda, com destino a uma praia local.

A viagem, que duraria poucos minutos, foi prolongada em virtude de que o piloto da embarcação, não identificado, teria seguido outra rota da estabelecida pelos passageiros. Ao se aproximar de um porto, o piloto reduziu a velocidade da embarcação e anunciou o assalto.

Uma das vítimas, que preferiu não se identificar, contou que sob ameaças de joga-los no rio, o piloto sacou uma arma e pediu que os três entregassem tudo o que estavam portando. Sem hesitarem, eles entregaram dinheiro, celulares e até mesmo alguns produtos que haviam comprado.

“Ele era um cara conversador, com papo. Então a gente foi caindo na conversa. Quando ele reduziu a velocidade, a gente até ficou preocupado se tinha acontecido alguma coisa com o motor. Foi aí que ele levantou a camisa, mostrou a arma e anunciou o assalto”, contou.

Diante disso, a vítima discorre ainda que o casal passageiro começou a entrar em desespero em razão de perigo iminente à vida.

“A mulher estava o tempo todo chorando. O cara pedindo socorro e não passava nenhuma voadeira. A preocupação era a de ele fazer alguma besteira com a gente. Ele todo tempo ameaçando jogar a gente no rio caso nós fizesse alguma coisa”, complementou.

Passados alguns minutos, já consumado a ação criminosa, as vítimas foram deixadas em um local distante às margens do rio Tapajós. Em seguida, o piloto, que não dispunha de nenhum tipo de identificação, fugiu. 

Com informações da TV Tapajoara HD 7.1

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS