ITAITUBA

ASTRO protocola requerimento no MP solicitando solução para os problemas logísticos em trechos das BRs 163, 230 e Transportuária

Carretas estacionadas. Foto: Reprodução.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

A Associação Brasileira de Transportadores de Cargas e Pessoa do Brasil (ASTRO) protocolou, junto ao Ministério Público do Estado do Pará (Promotoria de Justiça de Itaituba), um requerimento no qual é solicitada uma solução para os problemas enfrentados pelos caminhoneiros que fazem o transporte de grãos do Mato Grosso ao Porto de Miritituba (PA).

Por meio do pedido, a associação busca obter um resultado positivo que possa solucionar, conforme determina a Lei 13.103/2015, o problema logístico, que, ultimamente, tem culminado em vários quilômetros de engarrafamento. Isso tem prejudicado não somente os motoristas de carretas, mas também outras pessoas e condutores de veículos que necessitam dos trechos para trafegar.

“… Como é de conhecimento do Órgão, para o Porto de Miritituba vêm as cargas de grãos do Mato Grosso. Ocorre que este ano estamos percebendo um caso atípico, onde as condições degradantes chegaram ao extremo, visto que há 15 dias motoristas e comunidade estão sofrendo em longas filas que em determinados dias chegou a aproximadamente 50 km…”, trecho do requerimento.

Além do mais, objetiva-se alcançar as devidas medidas de responsabilizações e reparações pelos danos causados aos motoristas e comunitários. E, se voltar a ter congestionamento (“filas”), que as Trading, Operadores de Pátio e as Transportadoras deem todo o suporte necessário para os caminhoneiros.

“Aqui os caminhoneiros têm que pagar o estacionamento da carga. Isso é uma vergonha. Então, os caminhoneiros estão sofrendo demais com essa situação. É um descaso”, disse Walter Joner Pereira Souza, Presidente da ASTRO.  

Fonte: Plantão 24horas News.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS

error: Entre em contato conosco para solicitar o uso de nosso conteúdo