ITAITUBA

Belém/PA: Polícia Civil participa de evento do Comitê Estadual de Enfrentamento à Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin


A Polícia Civil esteve presente, nesta quarta-feira, 18, da programação do Comitê Estadual de Enfrentamento à Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes do Estado do Pará, realizado na sede do Centro Integrado de Inclusão e Cidadania (CIIC), da Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), no bairro do Marco, em Belém.

O evento contou com as presenças de estudantes das escolas Pedro Amazonas Pedroso, Albanízia de Oliveira Lima, Francisco Nunes da Silva, Zacarias de Assunção e Barão de Igarapé-Miri, que assistiram a palestras sobre direitos, cidadania, saúde e educação. A Polícia Civil foi representada pela delegada Nilma Lima, diretora de atendimento a grupos vulneráveis, que participou da mesa de abertura do evento, e contou com as palestras da delegada Ariane Melo, da Delegacia Especializada no Atendimento à Criança e Adolescente da Santa Casa, e do escrivão Arnaldino Freitas, da Divisão de Prevenção e Repressão a Crimes Tecnológicos. 


Durante o evento, o tema “Crimes Sexuais praticados pela Internet” foi um dos assuntos abordados. Arnaldino Freitas abordou os crimes mais comuns registrados nas redes sociais e sites, que são a falsa identidade (perfis falsos); “cyberbullying” e a pedofilia. No encontro com os  estudantes, o policial civil explicou as características do chamado “bullying”, o ato de violência contra alunos em escolas.


Ele se apresenta nas seguintes formas: moral, sexual, social, psicológico, físico, material e virtual. Neste último caso, ressalta o policial civil, são os crimes cometidos pela internet, como no caso da injúria e da difamação. Já a delegada Ariane Melo destacou os abusos sexuais cometidos contra crianças e adolescentes, em especial, a pedofilia. Para a delegada Nilma Lima, para que se combate os crimes sexuais contra as crianças e adolescentes é preciso que a rede de proteção esteja integrada para atender os casos de violação de Direitos.
Fonte: http://plantao24horasnews.blogspot.com.br/

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS