ITAITUBA

Benefícios assistenciais promovem a autonomia e mantém a esperança de famílias paraenses

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin


Excluídos e segregados no passado, as pessoas acometidas com a Hanseníase ainda precisam enfrentar o preconceito dia após dia. O Governo do Pará, por meio da Secretaria de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster) garante, há 30 anos, o Benefício Estadual para pessoas acometidas pela doença (BEPAH), com intuito de assegurar a autonomia e a dignidade para os paraenses acometidos com a doença e impossibilitados para o trabalho. 

Em 2020, o Estado disponibilizou mais de R$ 30 milhões para o pagamento dos beneficiários. Atualmente, 1.931 pessoas, em todo o Pará, recebem o auxílio, como “dona” Claudete Santos, de 52 anos, moradora da Cidade Velha, em Belém. 

“Eu ainda tentei trabalhar em casa de família, mas não consegui. Eu não tenho três dedos nas mãos, perdi a sensibilidade do tato. Todas as vezes que percebem que eu fui acometida pela hanseníase, eu sinto que eu não sou aceita. O preconceito é muito grande”, lamenta.

Há aproximadamente 15 anos, ela é beneficiária do Bepah. Com esse auxílio mensal, de quase um salário mínimo, dona Claudete consegue custear as despesas básicas da sua casa. “É uma grande ajuda pra nós. Com esse benefício eu consigo pagar a minha funerária, meu gás de cozinha, minha luz e alguns medicamentos. Sempre que preciso atualizar o meu cadastro, sou muito bem tratada por todos”, comenta. 

Benefício eventual

Além do BEPAH, a Seaster também realiza o controle e a execução do Benefício Eventual, auxílio pago por três meses no valor de um salário mínimo, que beneficia famílias em vulnerabilidade temporária, por sinistros, calamidade pública e de situação de emergência, como incêndios e alagamentos. 

Em 2020, foi pago em benefícios eventuais um total de R$ 427.300 para 171 famílias, sendo 89 de Belém, 81 de Paragominas e 01 de Benevides. 

O secretário de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda, Inocencio Gasparim, explica que o Estado manteve em 2020 um olhar atento à todas as famílias que foram vítimas de calamidades.  

“Tivemos muito cuidado para que esse pagamento não atrasasse, temos a ciência das dificuldades que a pandemia está causando. O Governo do Pará conseguiu suavizar os impactos materiais e emocionais que esses eventos contingênciais causam na vida desses cidadãos. Para além disso, o Estado também concedeu o programa Sua Casa para que as famílias pudessem refazer suas vidas. Reitero, que nós estamos atendo à cada família em vulnerabilidade em nosso Estado”, pontua o titular da pasta. 

Fonte: Governo PA

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS