ITAITUBA

Charcutaria de Venda Nova do Imigrante vence segundo lugar em premiação nacional

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin


Um conjunto de experiências, memórias e paixão pela arte da charcutaria inspiraram a produção de Finocchiona, salame preparado pelo chef Duaine Clements, na Charcutaria Novo Imigrante, localizada em Venda Nova do Imigrante, que conquistou o segundo lugar no “Prêmio Brasil Artesanal 2020 – Charcutaria”.

Embasado nas vivências e experiências adquiridas em seu processo de formação com chefs renomados e especializados em técnicas de fermentação, salga, cura e defumação, Duaine, que é americano radicado na região serrana do Espírito Santo, foi aprendendo a utilização do alimento por completo. Em uma viagem à Itália, no início de sua atuação profissional, conheceu e se apaixonou pelas produções locais de salumeria.

Das produções artesanais na cozinha a Finocchiona veio de uma memória afetiva: durante uma colheita, o perfume do finocchio (funcho, em italiano) fez lembrar do tempo que esteve na Toscana e dos sabores que lá conheceu. Resgatou uma receita antiga, adaptou aos ingredientes locais capixabas e iniciou os testes de produção. Após algumas tentativas, chegou na receita ideal, que leva, além de funcho, a flor de funcho ‘das montanhas capixabas’ (como a região é conhecida).

E a flor de funcho, especiaria das montanhas, conferiu um toque pra lá de especial, conta Duaine. “Não é preciso buscar tempero fora porque nós temos produtos incríveis no Espírito Santo. Precisamos valorizar os ingredientes locais porque eles têm qualidade. O Novo Imigrante Charcutaria é a minha paixão e eu fico muito feliz de ter participado e conquistado o segundo lugar. É um sentimento gratificante ter o trabalho reconhecido e saber que estamos fazendo produtos de qualidade”, disse.

Para o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Espírito Santo (FAES), Júlio Rocha, a premiação a um produtor capixaba é motivo de muita alegria. “Dentro de um universo com outros estados também de produção artesanal tradicional, a premiação da Charcutaria Novo Imigrante é sem dúvida um feito épico. Parabenizamos o vencedor capixaba e também agradecemos às colônias europeias que estão aqui, pois são ensinamentos que atestam a tradição que temos com as gerações passadas e que agora o conhecimento avança do consumo próprio para geração de renda. Esperamos que junto com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural do Espírito Santo (Senar-ES) tenhamos mais pessoas integrando as agroindústrias”.

O PRÊMIO

O prêmio é uma iniciativa do Programa de Alimentos Artesanais e Tradicionais do Sistema CNA/Senar, que oferece soluções e alternativas para pequenos e médios produtores rurais agregarem valor aos produtos. O objetivo da edição deste ano, realizada em parceria com a Academia da Charcutaria, é valorizar a produção de salames artesanais e reconhecer a qualidade dos produtos existentes no país.

Na premiação houve cinco finalistas. Além do Espírito Santo foram dois produtores do Rio Grande do Sul, um do Paraná e outro de Minas Gerais. Os prêmios foram R$ 3.000 e certificado de campeão do “Prêmio Brasil Artesanal 2020 – Charcutaria” para o primeiro colocado. O segundo garantiu certificado de vice-campeão e R$ 1.700. O terceiro colocado recebeu certificado e R$ 1.000. Quarto e quinto lugar receberam R$ 500 e R$ 300, respectivamente, além do certificado.

Fonte: CNA Brasil

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS