ITAITUBA

COVID-19: veja como fica o funcionamento do comércio com o novo decreto do Governo do Pará

COVID-19 - ilustração. Foto: Reprodução.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Na última quarta-feira (20), o Governador do Pará, Helder Barbalho, anunciou mudança de bandeira para algumas regiões do estado e informou que, a partir de hoje, quinta-feira (21), o comércio terá algumas restrições para o funcionamento, conforme o novo decreto estadual.

Conforme o estabelecido no Art. 27ª do decreto, a partir de hoje, “todas as regiões do estado, independente da bandeira e desde que haja previsão de regra mais restritiva, fica proibida a abertura de bares, boates, casas de shows” e estabelecimentos semelhantes aos já citados, bem como a realização de festas e shows abertos ao público.

Em contrapartida, no Art. 27B, pode-se inferir que os restaurantes, lanchonetes e estabelecimentos afins estão autorizados a funcionarem até à meia noite (00h). desde que obedeça a capacidade de pessoas e respeite as medidas preventivas ao coronavírus.

Em respeito a esse assunto, o Comandante do Comando de Policiamento Regional do Tapajós (CPR-X), Tenente-coronel Pedro Coelho, abordou a importância das medidas e como será o cumprimento delas no estado e município de Itaituba, que, recentemente, mudou de bandeira amarela para a laranja, o que indica taxa de transmissão média e média capacidade de resposta do sistema de saúde.

“O decreto foi bem claro quanto a essa situação. É para funcionar somente a questão de restaurantes até à meia noite. E esse funcionamento tem que atender aquelas medidas de distanciamento, máscara, álcool gel. Não pode estar lotado […]. Bares, festas, shows e outros que estamos verificando, estão proibidos de funcionar”, disse o comandante.

“… Isso é uma medida que a gente sabe que ninguém quer, principalmente as pessoas que querem trabalhar. Eu compreendo, mas eu não tenho dúvida que mediante a situação dos hospitais e UPA lotada, o Regional lotado, a questão do coletivo prevalece sobre o individual e peço que as pessoas colaborem nesse momento, porque a própria Polícia Militar sabe que são pessoas que têm que obedecer o decreto. Nós temos que fazer cumprir o decreto do governador. São pessoas trabalhadoras que batalham no dia a dia. Infelizmente, nesse momento não vai poder funcionar’, complementou.

Fonte: Plantão 24horas News.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS

error: Entre em contato conosco para solicitar o uso de nosso conteúdo