ITAITUBA

Devastação ambiental avança no distrito de Mosqueiro.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin


Uma ação do Ministério Público Estadual (MPE) realizada nesta quinta-feira (11) teve por objetivo conter as ações dos desmatadores, no distrito de Mosqueiro, em Belém. A degradação ambiental foi registrada pelo Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), que registrou que de novembro de 2014 até abril de 2015 quase 449 m² de floresta verde foram devastadas.

A iniciativa foi realizada pelo MPE em parceria com a polícia civil, militar e Secretaria do Meio Ambiente de Belém (Semma). O estudo do Imazon coloca o estado do Pará em segundo, no ranking dos que mais desmatam no Brasil.
Nos últimos seis meses, o aumento do desmatamento foi de 24%. As árvores cortadas são vendidas ilegalmente para família que queimam a vegetação e a transformam em plantação.
O alvo são espécies nobres, que são vendidas ilegalmente. “As família invadem a floresta e depois as vendem para quem têm um poder aquisitivo maior”, afirma Antônio Silva, da Semma.
O promotor de justiça Mauro Mendes explica que os possíveis “cabeças” estão há anos explorando a floresta. “Eles desmatam e fazem esse comércio ilegal de lotes”.
Uma das espécies que é alvo é o angeli, que tem o corte proibido por lei. A delegada de polícia, Virigina Nascimento afirma que é grande a devastação. “Eles não estão preocupados com o reflorestamento”, disse.
Na ação, todos os desmatadores identificados responderão por crime ambiental.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS