ITAITUBA

É preso o acusado de envolvimento em latrocínio de professor em Belém

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin


A Polícia Civil apresentou, nesta sexta-feita, 25, na sede da Divisão de Homicídios, em Belém, o preso Jhonathan Henrique Rebelo Maia, 26 anos, de apelido “Magrão”, que foi reconhecido por testemunhas como autor da morte do professor Laércio Gomes Coutinho, 50 anos. 

O acusado foi preso, ontem, em sua casa, em uma área de invasão, no bairro do Tapanã, em Belém. Com ele, foi apreendida uma arma de fogo, tipo garrucha calibre 22, e seis papelotes de cocaína. Foragido da Justiça, o acusado admite ter participação no crime, mas nega ter disparado contra a vítima. O professor morreu após ser atingido por um tiro no pescoço enquanto dirigia o carro de sua propriedade, na rodovia Augusto Montenegro, em frente ao conjunto Tapajós.
Arma apreendida

O delegado Marco Antonio Oliveira, diretor da Divisão de Homicídios, informou que, logo após o crime, no último dia 12, por volta de 7 horas da manhã, uma equipe de policiais civis da Divisão sob comando do delegado Dauriedson Bentes, passou a investigar o caso e teve contatos com diversas pessoas que presenciaram o crime.

Elas contaram que os autores do crime (dois homens em uma moto) haviam, momentos antes do crime, assaltado pessoas que estavam em uma parada de ônibus na rodovia do Tapanã, em frente a uma entrada de acesso ao Conjunto Tapajós. No momento em que os bandidos praticavam os assaltos, a vítima passou no local. 

A vítima foi abordada no momento em que reduziu a velocidade, para passar sobre uma lombada na pista, mas, ao perceber os bandidos, acelerou para tentar fugir dos assaltantes. Foi nesse momento que um dos assaltantes fez o disparo. A vítima perdeu o controle do carro que caiu no canteiro central da rodovia. As testemunhas revelaram ao delegado Dauriedson Bentes detalhes das características físicas dos criminosos. O autor do tiro foi descrito como um homem magro e alto. A partir dessa informação, detalhou o policial civil, foi feito um levantamento dos nomes dos bandidos que costumam praticar roubos nas proximidades do Conjunto Tapajós. 
Seis apelidos foram obtidos nessa investigação, ressalta o delegado. Um deles, identificado como “Magrão”, teve o envolvimento no crime reforçado por denúncias anônimas recebidas pelo fone 181, o Disque Denúncia. Em menos de 48 horas, a equipe da Divisão de Homicídios chegou ao paradeiro de “Magrão”, que passou a ser investigado até ser preso. Apresentado na DH, ele inicialmente se identificou com outro nome e negou ter participado do crime, porém acabou reconhecido por testemunhas como o homem visto em fuga com uma arma de fogo na mão após o crime e que depois foi levado na moto pelo comparsa. 
Jhonathan Maia já esteve preso por oito anos por roubo e fugiu da prisão no último dia 20 de agosto, oito dias depois de ter voltado ao presídio de um indulto do dia dos pais. Além de ter um mandado judicial de recaptura, o acusado vai responder por tráfico de drogas e posse ilegal de arma de fogo, e ainda será indiciado no inquérito sobre a morte do professor pelo crime de latrocínio – roubo seguido de morte. As investigações prosseguem visando identificar o segundo envolvido no crime. Quem tiver alguma informação que ajude a identificar e localizar o segundo criminoso deve telefonar para o fone 181, o Disque Denúncia. A denúncia é anônima e gratuita.
Fonte: policiacivil.pa.gov.br

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS