ITAITUBA

EM ENTREVISTA AO REPÓRTER MARINALDO SILVA, O VICE PRESIDENTE DA AMOT JOSÉ ANTUNES, DISSE QUE DE CERTA FORMA O VETO DAS MEDIDAS PROVISÓRIAS 756 E 758 BENEFICIAM A REGIÃO, MAS DISSE QUE AS OPERAÇÕES DO IBAMA SÃO RESULTADOS DA PRESSÃO INTERNACIONAL.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin


De acordo com o vice  presidente  da associação e Mineradores de Ouro do Tapajós, o veto das medidas provisórias 756 e parcialmente a 758  pode ser considerado positivo. Segundo José Antunes com o veto,  todas as áreas de preservação dos municípios de Itaituba, Trairão e Novo Progresso permanecem como está.


José Antunes e Marinaldo Silva. 

José Antunes também alou sobre a fiscalização que está sendo feito pelo IBAMA na região do Tapajós. De acordo com o vice presidente da AMOT, quem está trabalhando dentro da legalidade não tem porque se preocupar com a fiscalização.  Segundo o advogado, o governo federal está sendo pressionado por ONGS que defendem o meio ambiente e até por outros países como a Noruega.


José Antunes vice presidente da AMOT
De acordo com o vice presidente da AMOT,  foi investido recursos internacionais na preservação da Amazônia, mas na realidade o dinheiro não foi aplicado  de acordo com o combinado entre o Brasil e outros Países como Noruega e Alemanha.


Todas as medidas do governo federal  acabam prejudicando o trabalhador que há muitos anos tiram da atividade mineral o sustento da família e movimenta a economia local.


Fonte: http://www.plantao24horasnews.com.br/ com informações do repórter Marinaldo Silva.
Imagens: Wesen Reis – TV Eldorado BAND.


COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS

error: Entre em contato conosco para solicitar o uso de nosso conteúdo