ITAITUBA

Feira da Agricultura Familiar oferece produtos regionais e artesanato em área da Sefa

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin


Na manhã desta quinta-feira (10) foi realizada, na sede da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa), em Belém, uma nova edição da Feira da Agricultura Familiar, promovida pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater). O evento ao ar livre atraiu grande número de consumidores.

A Feira aconteceu na área do estacionamento da Sefa, na avenida Visconde de Souza Franco, no bairro do Reduto, em Belém. Esta edição contou com a presença de servidores do Fisco e de populares que aproveitaram para fazer compras no local.

“Acho interessante a Feira, nesse clima que a gente tem vivido, nesse tempo de pandemia, é muito bom a gente poder usufruir de produtos sem agrotóxico, sem veneno, comprar coisas naturais, é muito bom”, disse Fábio Sergio Brasil, que aproveitou para conhecer os itens oferecidos.

Valma Bulhões, fiscal de receitas estaduais da Sefa, gostou da iniciativa: “Acho super cômodo a Feira vir no local de trabalho, eu gosto de comprar hortifrúti e hortaliças”.  

Durante a Feira realizada, das 7h30 às 12h, 15 famílias de agricultores ofereceram  produtos como hortaliças, frutas, polpas, peixes, camarão, polpa de caranguejo, licores, compotas, bombons regionais, plantas ornamentais, artesanatos de crochê, tecido e EVA; biojoias,  iguarias regionais, além de produtos reciclados. A expressão EVA, em português, é a sigla de acetato-vinilo de etileno, um tipo de espuma sintética, que se assemelha ao plástico, muito usada para artesanato e produtos infantis.

As Feiras realizadas pela Emater reúnem agricultores dos municípios de Ananindeua, Belém, Marituba, Benevides e Santa Bárbara do Pará, na Região Metropolitana de Belém; Bragança, no nordeste paraense; além de Soure e Ponta de Pedras, no Marajó.

A Feira Vitrine é um projeto para fomentar a comercialização dos produtos, melhorar a renda das famílias, mantendo a sustentabilidade ambiental e multiplicando técnicas artesanais e empreendedoras.

“Sou artesã e membro do Projeto Vitrine Artesanal, e estamos aqui hoje na Sefa fazendo um trabalho de exposição. É isso que a Emater nos proporciona, a abertura de espaços e lugares onde nós não conseguimos chegar sozinhos”, disse a artesã Valdenise Genú.

Valdenise Genú acrescentou ainda que “o Projeto Vitrine Artesanal abre portas para que a gente possa, de fato, mostrar o que a gente produz. É uma maneira que a gente tem de gerar renda, para que a gente possa continuar produzindo, mas para isso precisa de espaço para escoar a produção. A  gente só tem a agradecer pelo espaço o ano todo, que a Emater tem feito por nós”, explicou Valdenise Genú, artesã. 

Já Luciane de Oliveira, agricultora, participa das Feiras há três anos: “me tornei agricultora da agricultura familiar há 12 anos, e é bom participar da Vitrine Artesanal, porque ela atende a família, a nossa renda começou a aumentar devido as feiras itinerantes, e a Emater nos acompanha com nossos cursos técnicos, as nossas dificuldades com pragas. Eles estão lá prontos para nos orientar, e tudo isso é bom para a gente agricultor”.

A artesã Daniele Farias, que trabalha há cinco anos com artesanato, também participou do evento: “meus produtos são inteiramente recicláveis, feitos com papel de bula, caixas de remédio, cola, álcool e para finalizar uso verniz para dar brilho. As peças podem ser molhadas. São peças sustentáveis, e é uma forma de não poluir o meio ambiente”. 

Fonte: Governo PA

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS

error: Entre em contato conosco para solicitar o uso de nosso conteúdo