ITAITUBA

Fundo Esperança disponibiliza mais de R$ 61 milhões para estimular a economia paraense

Foto: Bruno Cecim / Ag. Pará

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Como uma medida de estímulo à economia paraense, implantada pelo Governo do Pará, o Fundo Esperança já disponibilizou até esta última quinta-feira (01), mais de R$ 61 milhões em empréstimos para pessoas físicas e jurídicas. Ao todo são R$ 61.127.010,86 , sendo R$ 30.231.336,80 para pessoas físicas e R$ 30.895.674,06 para pessoas jurídicas.

“O Fundo Esperança vem garantindo financiamento para os negócios que precisam de ajuda durante o período de crise econômica provocada pela pandemia da Covid-19. O programa já disponibilizou mais de R$60 milhões para financiamento de pessoas físicas e jurídicas de todas as Regiões de Integração do Estado do Pará. Esse balanço demonstra o resultado positivo e reforça a importância desta iniciativa, que tem o propósito de promover o desenvolvimento econômico, garantindo a preservação da renda e do emprego de uma grande parte da população paraense”, ressaltou o titular da Sedeme, Carlos Ledo.

São priorizados microempreendedores e trabalhadores autônomos informais e Microempreendedores Individuais (MEIs), dos diversos segmentos de produção, artesanato, comércio e serviços, inclusive empreendedorismo social e cultural e agricultores que desenvolvam negócios não agrícolas no meio rural.

Entre as vantagens oferecidas pelo programa está a taxa de juros do financiamento, que é de 0,2% ao mês, além do prazo para pagamento de até 36 meses e carência de 180 dias para o pagamento da primeira parcela. Os beneficiados que foram contemplados em 2020 também poderão aderir o programa, desde que seja verificada pelo banco a situação de adimplência do primeiro empréstimo.

Conforme o regulamento do programa, o valor de cada financiamento observará os limites por pessoa física ou jurídica: até R$ 2 mil para empresários informais e integrantes da economia criativa; até R$ 5 mil para microempreendedores individuais, e até R $10 mil para microempresas.

De acordo com a Sedeme os canais de atendimento disponibilizados no site oficial são os únicos para atender as demandas do Fundo Esperança.

– Confira a documentação necessária para apresentar no banco:

– Pessoa Física (integrantes da economia criativa ou empreendedor informal):

– Documento de identidade oficial com foto;

– Comprovante de residência no nome do beneficiário;

– Caso não haja comprovante de residência no nome do beneficiário, deverá ser apresentado Declaração de Residência;

– Certidão de Casamento / União Estável (se for o caso);

– Procuração quando houver representante legal;

Pessoa Jurídica (microempreendedor individual, microempresa, empresa de pequeno porte ou cooperativas):

– Documento de Identificação da pessoa jurídica (Certificado de MEI, Requerimento de Empresário Individual, Contrato Social) de acordo com o porte;

– Comprovante de domicílio da pessoa jurídica;

– Documento de identidade oficial com foto do(s) sócio(s) representante(s) legal(ais) da pessoa jurídica;

– Comprovante de Residência no nome do(s) sócio(s);

– Caso não haja comprovante de residência no nome do (s) sócio (s), deverá ser apresentada a Declaração de Residência.

– Para mais informações:

Site oficial: https://www.sedeme.pa.gov.br/fundo-esperanca

E-mail: [email protected];

Telefone institucional: (91) 98466-6404 (WhatsApp).

Agencia Pará

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS

error: Entre em contato conosco para solicitar o uso de nosso conteúdo