ITAITUBA

HRT destaca a saúde do homem em apoio a campanha Novembro Azul

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin


O objetivo da campanha Novembro Azul, promovida pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), tem como propósito conscientizar e divulgar a importância do diagnóstico precoce desse câncer que é registrado como o segundo tipo mais comum entre os homens brasileiros.

Hospital Regional do Tapajós. Foto: Reprodução 

Especialistas alertam que para uma vida com saúde, mais do que genética, é preciso fazer escolhas conscientes. Hábitos saudáveis e saúde preventiva são os passos para um envelhecimento com qualidade de vida. Mas, mesmo sabendo disso, homens costumam dar menos atenção à saúde e realizam menos consultas médicas.

Tabu

A psicóloga Karina Rui explica que este é um fator cultural. “Se observar a historicidade da masculinidade, o homem não é culturalmente estimulado ao autocuidado. Com isso, observamos um grande tabu, vergonha e medo ainda existente que permeiam e até mesmo freiam a busca pelos cuidados e prevenção a saúde do público masculino”, enfatizou.

Médico urologista Jarlisson Rebelo. Foto: Reprodução 


Para o médico urologista Jarlisson Rebelo, diretor técnico do Hospital Regional do Tapajós (HRT), apesar da resistência do homem de procurar um médico, essa realidade está mudando gradativamente. “A mulher se cuida mais, mas isso está mudando. Ainda que devagar, estamos conseguindo mudar a concepção dos homens e eles estão se conscientizando e procurando maior prevenção”, destacou.

Ainda segundo o especialista, o câncer de próstata em uma fase inicial não apresenta sintomas. “Por isso, é necessário fazer o exame para identificar o câncer precocemente”, disse.

Avaliação de risco

A SBU recomenda que se inicie a avaliação do risco de câncer de próstata aos 50 anos, porém homens com parentes de primeiro grau com histórico de câncer de próstata ou homens afrodescendentes devem começar aos 45 anos. 

Jarlisson explica ainda que o diagnóstico é feito por meio de rastreio, através do toque retal e da dosagem sanguínea do PSA, que são as formas mais eficientes para identificar o tumor em fase inicial. “Se os resultados forem alterados, o diagnóstico patológico se dará com a realização da biópsia de próstata e, assim, possibilitar melhor chance de tratamento”, esclareceu. 

O especialista ressalta que o tratamento é um tripé, sendo ele cirúrgico, se identificado na fase inicial, Radioterapia e Hormonioterapia, destacando que em uma fase mais tardia somente é possível realizar a Hormonioterapia. “Mesmo com os avanços vale enfatizar a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de próstata”, completou.

Fonte: Plantão 24horas News 

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS

error: Entre em contato conosco para solicitar o uso de nosso conteúdo