ITAITUBA

Instituto confirma morte de macaco por febre amarela no oeste do Pará

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin


IEC irá notificar Ministério da Saúde e regional da Sespa sobre o caso. Cinco macacos foram encontrados mortos com suspeita da doença.

O Instituto Evandro Chagas (IEC) confirmou nesta terça-feira (21) que a morte do macaco encontrado na zona rural do município de Rurópolis, no oeste do Pará, foi provocada por febre amarela.
A preocupação com a morte dos animais começou depois que mais de 340 macacos morreram no sudeste do Brasil com febre amarela. Os macacos são hospedeiros do vírus da doença.

O Instituto Evandro Chagas e a Secretaria de Saúde do Pará (Sespa) deram início à investigação sobre a mortes de cinco primatas nos municípios de Rurópolis e Itaituba, no oeste paraense, no início do mês.  A comunidade onde os macacos morreram fica na divisa da Floresta Nacional do Tapajós, por isso, as investigações também foram feitas nessa área de mata.

Segundo o IEC, após a confirmação do resultado positivo, o Ministério da Saúde e a 9ª regional-Santarém/SESPA deverão ser notificados.

Diante da suspeita dos casos, a Secretaria de Saúde de Itaituba aumentou o número de vacinas contra a febre amarela nos postos de saúde do município, de 17 mil para 40 mil doses.
Após analisar amostras de macaco encontrado morto no oeste do Pará, o Instituto Evandro Chaga confirmou que a febre amarela foi a causa da morte do primata.

Após analisar amostras de macaco encontrado morto no oeste do Pará, o Instituto Evandro Chaga confirmou que a febre amarela foi a causa da morte do primata.

Por: G1 Pará (Foto: Tarso Sarraf/O Liberal)

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS