ITAITUBA

Operação no PA prende suspeitos por fraudes em créditos florestais

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin


Uma operação da Polícia Civil em parceria com o Ministério Público do Estado do Pará (MPPA) e o poder judiciário prendeu em Belém, em Ananindeua, na região metropolitana de Belém, em Itaituba e Tucuruí, pelo menos 11 pessoas suspeitas de participação em fraudes de créditos florestais. Os suspeitos estão sendo levados para a sede da Delegacia Geral, em Belém, na manhã desta quarta-feira (1º).

Segundo a polícia, entre os presos estão uma engenheira florestal, funcionária da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), e um ex-funcionário da Secretaria. Além das prisões, estão sendo cumpridos mandados de busca e apreensão de documentos que podem comprovar as irregularidades. Em nota, a Semas nega que a engenheira florestal presa nesta quarta seja funcionária do órgão e esclarece que uma servidora foi presa na primeira fase da operação “Crash Wood”, em março deste ano, e que após a abertura de processo administrativo interno, ela foi desligada do órgão.
De acordo com a polícia, pessoas envolvidas com negócios na área florestal, como empresários e madeireiros, eram beneficiadas com alterações numéricas realizadas no Sistema de Comercialização e Transporte de Produtos Florestais (Sisflora), que controla a comercialização e o transporte de produtos florestais no Pará e possibilita a emissão de créditos florestais, e era operado por servidores da Semas. O delegado Marcos Miléo, que conduziu as investigações, estima que mais de R$ 400 milhões tenham sido liberados só neste ano em movimentações fraudulentas.
Fonte: G1-Pará

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS