ITAITUBA

Ophir Loyola terá a primeira residência médica em Neurorradiologia da região Norte

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin


O Hospital Ophir Loyola vai ofertar o primeiro Programa de Residência Médica (PRM) na área de atuação em Neurorradiologia da região Norte, em cooperação com instituições públicas e privadas. O PRM capacitará um médico especialista para atuar tanto no diagnóstico como na terapêutica, através de técnicas de neurointervenção para doenças neurológicas vasculares e áreas afins. Com a conquista, o HOL será o oitavo centro oficial de treinamento do Brasil.

A qualificação, que será ofertada pelo hospital, foi aprovada pela Sociedade Brasileira de Neurorradiologia e Colégio Brasileiro de Radiologia. O treinamento ocorrerá em dois anos, com elevado grau de conhecimento técnico e científico, mediante bolsa oficial do Ministério da Educação.

“Mais uma vez o hospital mostra o compromisso em formar mão de obra qualificada para atender a realidade da nossa população. É uma importante conquista para a região Amazônica, por ser o primeiro programa desta natureza em nossa região, onde a demanda é alta e existe a escassez de profissionais qualificados nesta área de atuação” – Rui Barros, diretor de Ensino e Pesquisa.

Sobre isso, o coordenador da Comissão de Residência Médica (Coreme) do HOL, Rafael Maia, explica que a Neurorradiologia é uma área de atuação específica da Medicina e acaba por ser concentrada nas grandes metrópoles. “Seremos o oitavo centro oficial de treinamento do país, o único da região Norte. Aqui temos tradição na formação de médicos especialistas e vamos formar profissionais para que a especialidade possa se expandir para além dos grandes centros”, diz.    

A princípio, será ofertada uma vaga ao ano para o especialista que cursará o primeiro ano de residência médica, chamado de R1. Posteriormente, será ofertada uma vaga para R2. Para se candidatar à vaga, o médico especialista precisa ter formação em Neurologia, Neurocirurgia ou Radiologia. No momento atual, o Hospital Ophir Loyola dispõe de  mais de 100 residentes médicos em treinamento nos 13 programas de residência médica. A Neurorradiologia será o 14° programa da instituição de saúde.

“Por sermos um hospital de referência de grande porte, os profissionais terão um grande aprendizado, onde vão prestar assistência humanizada a pacientes que necessitem de técnicas de intervenção neurológica diagnóstica e terapêutica. Eles desenvolveram estratégias fundamentadas no quadripé da assistência, ensino, pesquisa e ação social, que favoreçam o desenvolvimento do conhecimento e aplicação de metodologias que auxiliem na melhoria da assistência à saúde pública e privada” – Rafael Maia, coordenador da Comissão de Residência Médica (Coreme) do HOL.

Neurorradiologia

É uma área de atuação que identifica, avalia e trata anormalidades no sistema nervoso central e periférico, da medula espinhal e cabeça e pescoço. Surgiu na década de 70, quando o médico russo Serbinenko produziu um balão intra-arterial para o tratamento de um aneurisma. Com o aprimoramento das técnicas de aquisição de imagem e do desenvolvimento dos materiais utilizados, a neurorradiologia intervencionista tornou-se um método seguro, eficaz e capaz de tratar doenças complexas, com técnicas menos invasivas que reduzem o tempo de hospitalização e os riscos quando comparado à cirurgia convencional.

O PRM em Neurorradiologia é um programa recente do Ministério da Educação. Criado em 2019, surgiu após o esforço da Sociedade Brasileira em Neurorradiologia em evidenciar que se trata de uma área peculiar da Medicina, com competências e habilidades específicas. A especialidade trata desde um recém-nascido ao idoso com patologia que obstrui o vaso sanguíneo, como isquemia ou doenças que extravasam o sangue.  

Em agosto deste ano, o Sistema Único de Saúde, por meio da Câmara Técnica, autorizou a trombectomia como uma das possibilidades de tratamento na rede pública assistencial. Essa intervenção remove os coágulos (trombos), reduz a mortalidade e aumenta a independência das vítimas de Acidente Vascular Cerebral (AVC), a segunda doença que mais mata no Brasil e a que mais incapacita no mundo. Com a qualificação de profissionais, por meio de programas de residência médica, aumentam as possibilidades de tratamento ofertado às pessoas acometidas por este distúrbio.

O especialista em Neurocirurgia Vascular e Neurorradiologia do HOL, o professor Eric Paschoal, será o coordenador do novo programa. Segundo ele, “a aprovação da residência médica agregará valor para os profissionais que já atuam na área e formará novos especialistas com qualidade técnica e científica, posto que a tradição no ensino está vinculada à assistência e à pesquisa com ênfase na humanização”.

“A nossa região tem muitas doenças que necessitam da neurorradiologia diagnóstica e intervencionista. Essas patologias que aparecem nos vasos sanguíneos da nossa população possuem características diferentes em relação a outras regiões brasileiras, aqui se assemelham àquelas peculiaridades apresentadas nos países da Ásia. Certamente, deve ter algum fator genético que predispõe a isso. A partir do programa de residência médica, teremos mais subsídios para a pesquisa e a busca de novos dados para a produção científica” – Eric Paschoal, coordenador do novo programa.

O Hospital Ophir Loyola possui um Ambulatório de Neurocirurgia Vascular e de Neurorradiologia habilitado e classificado perante o SUS. A instituição é uma unidade de alta complexidade no tratamento de doenças neurológicas e recebe pacientes de várias regiões, e também dispõe de Programas de Residência em Neurocirurgia e em Neurologia, que darão mais força ao programa de neurorradiologia.

A previsão é de que a vaga esteja disponível já no ano de 2021, por meio do Processo Seletivo Único (PSU), a ser promovido pela Universidade Estadual do Pará (Uepa), com data de inscrição a ser informada posteriormente em edital.

Fonte: Governo PA

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS