ITAITUBA

Primeira etapa da Campanha de Vacinação Contra a COVID-19 começa no município de Itaituba (PA)

Foto: Reprodução / SEMSA.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Após a chegada do primeiro lote de imunizantes, a Secretaria Municipal de Saúde (SEMSA) deu início, ainda na noite desta terça-feira (19), a primeira etapa de vacinação contra a COVID-19 no município de Itaituba.

Um idoso de 89 anos se tornou o primeiro itaitubense a ser vacinado contra a infecção causada pelo novo coronavírus. Além dele, um indígena e quatro profissionais da saúde foram imunizados.

A ordem da primeira parte da imunização

01 – Idoso de 89 anos – Francisco Ribeiro (Abrigo do Idoso).

01 – Indígena Zildomar Sawe Munduruku 41 anos. (Primeiro represente indigena imunizado).

4 – Profissionais da Saúde:

Médico Benedito Protacio Neto;

Enfermeira Vanessa Miranda (UPA);

Técnica de Epidemiologia Soraia Rodrigues Rocha (SEMSA);

Maria Antônia Alves de Souza (Samu).

“Foi muito emocionante. A gente ficou muito feliz… Foi uma vitória para a gente ser presenteada com esse dia e ser escolhida como uma das primeiras representando a Enfermagem. Foi muito bom”, disse a Enfermeira  Vanessa Miranda, da UPA.

O primeiro idoso a ser imunizado. Foto: Reprodução / SEMSA.

De acordo com a Coordenadora de Imunização, Soraia Sena, nesse primeiro momento as vacinas não estarão disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde (UBS).

“Nesse momento o município recebeu 40% da meta dos profissionais da saúde. Então, essa vacina não estará disponível ainda para os postos de saúde. Nós, da Secretaria de Saúde, iremos fazer a vacinação nas instituições e também no abrigo. Os indígenas também foram contemplados nessa fase. A partir da segunda fase, as vacinas estarão disponíveis nas unidades de saúde para a população…”, disse.

Quatro profissionais que atuam na linha de frente foram imunizados. Foto: Reprodução / SEMSA.

O Prefeito Valmir Climaco destaca que a primeira etapa está sendo voltada a pessoas mais vulneráveis; no entanto, afirma que o próximo lote será destinado ao início da vacinação de outros grupos da sociedade.

“A gente está vendo uma luz no fundo do poço. De qualquer maneira, já apareceu a vacina. A gente pensava que não tinha a segunda onda, mas apareceu. Ninguém sabe se vai ter a terceira. É interessante que comece a vacinar. A vacina que chegou é para 1% da população, mas, com certeza, agora veio para os profissionais da saúde, as pessoas que mais têm necessidade, que estão de frente a frente o coronavírus. Daqui uns dias, vem para os idosos, profissionais da educação, policiais militares e as pessoas mais vulneráveis. Estamos bastante preocupados, pois em 24 horas tivemos 3 óbitos”, destacou.

Para mais, orienta que ainda não é tempo de abandonar as medidas preventivas para combater o vírus.

“… A população não deve se confiar só na vacina. Nesse momento, a melhor vacina que temos é a máscara e, segundo, não andar nas concentrações… Nós temos um impasse do Governo Federal com outras pessoas, mas, graças a Deus, já terminou. Está chegando material para fazer a vacina no Butantan e nós estamos esperando… Já tem 4.800 doses e vai vir outra remeça para Itaituba. Tem 2 milhões de doses que está indo da Índia e vai vir um pouco para Itaituba”, disse o Prefeito Valmir Climaco”, pontuou.

O Secretário de Saúde Iamax Prado enfatiza que, nesse primeiro momento, um total de 1.138 membros da sociedade – entre profissionais que estão na linha de frente da doença, indígenas e idosos de abrigo – será imunizado. Além do mais, aborda as expectativas para a chegada de mais doses da vacina.

“Nesse momento, a minha ansiedade é a mesma das pessoas que estão esperando, uma vez que não teremos a oportunidade de imunizar todo o nosso povo, mas, pelo menos, 1.138 deles, dos grupos prioritários, somando apenas 40% dentro dos grupos prioritários, que são profissionais da saúde que atuam diretamente no combate ao COVID, idosos que fazem parte de instituições como o Abrigo do Idoso 29 idosos , 698 profissionais da saúde, 411 indígenas”, destaca.

“… O Ministério da Saúde não deu essa esperança, mas afirmou que pode ser a qualquer momento, uma vez que estão sendo produzidas a cada momento no Instituto Butantan milhares de doses, mas também tem a grande esperança que é a liberação da Anvisa para as outras vacinas existentes. Então, a qualquer momento, a Anvisa pode liberar essas vacinas e elas poderão ser comercializadas no mercado nacional”, complementou.

Fonte: Plantão 24horas News.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS