ITAITUBA

Procon Pará alerta para crimes em realização de consórcios

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin


Uma nova modalidade de golpe está no mercado e tem prejudicado os mais variados tipos de consumidores. O chamado golpe da carta contemplada, do financiamento ou ainda o golpe do consórcio é praticado por pessoas que se dizem intermediadoras de negócios e, supostamente, disponibilizam vantagens que farão a diferença na hora de adquirir um bem.

Segundo informações da Diretoria de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon), vinculada à Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), o golpe funciona por meio de propaganda na mídia ou nas redes sociais. Os golpistas oferecem um bem móvel ou imóvel a preço muito atrativo e em condições de pagamento irrecusáveis.

“Na primeira modalidade do golpe, é garantido verbalmente ao consumidor que ele está adquirindo uma cota contemplada de um bem e que para ter acesso a ela precisa realizar o pagamento de uma entrada para liberação do valor do ‘consórcio’ e, consequentemente, liberação de valores para aquisição daquele bem”, informou o coordenador de Fiscalização do Procon, Renan Lobato.

Depois do pagamento da entrada e do contrato assinado, o consumidor é orientado a aguardar os trâmites para transferência das cotas e liberação dos valores, o que não acontece e os golpistas, quando respondem, se restringem a sempre dizer que houve um problema nos tramites, mas que será resolvido. O consumidor caiu em um golpe.

Um exemplo é a transferência de consórcio que já foram contemplados. Apesar de existir regras para a transferência de titularidade de consórcios, o consumidor tem deixado de seguir as normas e tem atentado somente para as supostas vantagens que são “vendidas pelos golpistas, que se aproveitam da boa fé das pessoas para lhes roubarem os planos, os sonhos e as economias, muitas vezes guardadas com tanta dificuldade”, complementou Renan Lobato.

Financiamento x Consórcio

Já nessa modalidade de golpe, o Procon alerta que é oferecido um bem em suposto contrato de financiamento onde o consumidor realiza o pagamento de um valor referente à entrada do bem para recebê-lo supostamente em 15 dias, em média.

O coordenador de Fiscalização do Procon explica como funciona este crime. “Ocorre que, na verdade, nesta modalidade de golpe está sendo vendido um consórcio e não financiamento, que depois de assinado e realizado o pagamento, o consumidor se depara com o problema. Acreditou estar financiando um bem, quando na verdade entrou em um consórcio não contemplado e que só terá direito a receber o bem no final do pagamento de longas parcelas ou nas regras do consórcio”, afirmou Renan Lobato.

Veja dicas do Procon para não cair golpes relacionados a financiamentos e consórcios:

– Desconfie de ofertas e condições de pagamento muito vantajosas;

– Não pague nenhum valor antes de conferir pessoalmente junto às administradoras de consórcios se realmente houve a contemplação da cota ofertada (você deve comparecer ao endereço fornecido por ela (administradoras de consórcios) ou no seu site oficial. Se o vendedor tentar te convencer a ir a alguma empresa “representante” ou “parceira”, não aceite;

– Confira se a instituição que administra o sistema é autorizada pelo Banco Central. A lista pode ser consultada no site do BC;

– A administradora pode te exigir uma série de documentos para avaliar se aprova ou não a transferência de titularidade;

– Antes de assinar o contrato, solicite à administradora uma cópia da ata da assembleia na qual a cota foi contemplada;

– Não acredite em venda de cotas contempladas nem em entrega de carta de crédito ou do bem em prazo pré-determinado. Essas promessas são forte indício de golpe;

– Esteja atento ao que está escrito no contrato e as promessas verbais do vendedor;

– Antes de fechar qualquer negócio, pesquise sobre a reputação da empresa ou do vendedor;

– Não pague nada a ninguém antes de ter seu cadastro aprovado, ou do contrato assinado depois de ser lido.

Serviço:

O Procon está disponível para tirar dúvidas e receber denúncias referentes a golpes relacionados a consórcios e outras reclamações de consumidores. Basta entrar em contato pelo Disque 151 ou pelo e-mail [email protected] A sede da Diretoria de Proteção e Defesa do Consumidor fica localizada na travessa Lomas Valentinas, n° 1.150, no bairro da Pedreira, em Belém.

Fonte: Governo PA

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS