ITAITUBA

Produtores melhoram a pastagem do gado para aumentar a produção de leite na região nordeste

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin


Há cerca de três anos, Josué Silva Lima recebeu orientações da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) para melhorar a pastagem de sua propriedade. Desde então manteve a relação com a empresa, buscando sempre melhorias para a sua produção.

“Eu posso dizer que a Emater me ajudou a melhorar de vida. Eu fui agraciado com um projeto pra minha propriedade, recebi os técnicos e foi feito um melhoramento de pastagem, implantado o pastejo rotacionado, irrigação e isso me deu mais tempo para trabalhar em outras áreas da propriedade, e ainda deu uma alavancada na minha produção de leite” , conta Josué, um dos pequenos produtores de gado leiteiro de Castanhal, São Francisco do Pará e São Domingos do Capim, que acompanharam a entrega do pastejo rotacionado irrigado de Francisco Ariston, na Comunidade Bacuri, em Castanhal.

A assistência técnica e extensão rural para a implantação do sistema na propriedade foi feita por uma equipe multidisciplinar do escritório local da Emater em Castanhal, composta por um técnico agrícola, um engenheiro florestal, um sociólogo e pelo zootecnista Daniel Diniz, que detalha o que foi implementado na propriedade de Francisco Ariston.

“O principal intuito foi racionalizar a atividade dele. Ao visitarmos a propriedade, nós percebemos que os animais estavam sem alimentos, por isso começamos pela pastagem, adubando essa pastagem, implantamos a irrigação e fizemos o rotacionado. Implantamos também algumas técnicas, como sombra pros animais, e daqui para frente vamos avaliar os animais que serão descartados para investir naqueles que têm potencial de uma melhor produção.”, explica Daniel.

OPORTUNIDADE

Para os produtores, foi uma oportunidade de ver as melhorias feitas no pasto e também se inteirar das novidades sobre a técnica, que pode contribuir para o aumento da produção do leite. Para Francisco Ariston, que há sete anos só consegue tirar uma média de 6 litros de leite por animal, esse é um investimento que traz grandes expectativas.

“Saí daquele sistema que a gente usa para esse, é bom demais. Só de acabar com aquela distância, que a gente precisava pegar o cavalo pra ir buscar os animais e agora elas vão ficar aqui quietinhas, comendo, paradas, e a gente ganhando tempo e diminuído a área pra cuidar, está bom demais. Além disso eu espero aumentar a produção de leite, dobrar se for possível. Foi excelente esse apoio da Emater, se não fosse os técnicos me ajudar aqui, talvez esse pasto não fosse realidade, nem em sonho!”, reconheceu Francisco.

Além das vantagens relacionadas aos cuidados com a manutenção para a qualidade da próprio pastagem, o pastejo rotacionado é considerado vantajoso para os criadores de gado leiteiro, por possibilitar que os animais sejam manejados em uma área menor, sem muito deslocamento para se alimentar, gastando menos energia, o que pode ajudar no aumento da lactação.

Atualmente, todo o leite produzido na propriedade de Francisco e de outros pequenos produtores da região já tem destino certo, uma fábrica de laticínios de São Francisco do Pará.

 

Fonte: Governo PA

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS

error: Entre em contato conosco para solicitar o uso de nosso conteúdo