ITAITUBA

Projeto Rodovia Liberdade é apresentado a deputados da Alepa

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin


Pontos importantes e as bases técnicas do projeto Rodovia Liberdade, visando a obtenção de recursos para a execução das obras, foram apresentados aos deputados da Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa) em uma reunião ocorrida nesta quarta-feira (9), em Belém. A mesa foi presidida pelo deputado Osório Juvenil, presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), e teve a presença do secretário Adler Silveira, da Secretaria de Transporte (Setran), e da secretária adjunta Renata Coelho, da Secretaria de Planejamento e Administração (Seplad).

No último dia 30 de novembro, o governador Helder Barbalho encaminhou para a casa legislativa o pedido de autorização para operação de crédito de R$ 400 milhões, visando o início dos serviços para a construção da rodovia expressa, tida como alternativa estratégica à rodovia BR-316 para garantir melhor fluxo de veículos e pessoas, otimizando a mobilidade urbana.

“Seguindo o detalhamento do Executivo, a nossa expectativa é que, ainda no primeiro trimestre, nós façamos a licitação e, partindo desse resultado, com o licenciamento aprovado pela Secretaria de Meio Ambiente, possamos seguir para a execução da obra a partir do segundo trimestre de 2021” – Adler Silveira, titular da Setran.

Na primeira etapa dos trabalhos, a Rodovia Liberdade contará com 14 km de extensão com traçado saindo da avenida Perimetral, em Belém, até a Alça Viária, em Marituba. Já na segunda etapa, sairá da Alça Viária e segue até o município de Santa Izabel do Pará.

Entre os pontos centrais dessa ação de mobilidade urbana, já contemplada no Plano Plurianual (PPA), estão a edificação de viadutos, galerias, pontes, avaliação de solo, compactação de leitos para que a rodovia tenha uma qualidade que permita não apenas o ir e vir de carros de passeio como também garantir o fluxo de veículos pesados. O impacto positivo poderá ser sentido com a expectativa de redução de cerca de 30% do número de acidentes ocorridos na rodovia BR-316, diminuição do tempo de deslocamento da população aos centros urbanos na Grande Belém, com o deslocamento do fluxo de aproximadamente 6 mil veículos por dia da BR para uma via expressa.

De acordo com a Diretoria Técnica da Setran, a técnica utilizada para a construção é a mesma empregada em outras que tiveram êxito, como a Rodovia do Mangue, no Recife, e o Rodoanel, em São Paulo, priorizando o fator ambiental, já que o traçado da nova via foi desenvolvido em desvio à região do Abacatal, onde vive uma comunidade quilombola.

“É uma rodovia também que tem um apelo ambiental de preservação do meio ambiente e das comunidades tradicionais, como os quilombolas do Abacatal. Ela vai seguir já o traçado do linhão que sai da Eletronorte, ali na avenida Perimetral, e segue rumo ao interior do Estado, ou seja, com uma menor faixa de supressão vegetal. Então, há um apelo social, de mobilidade urbana e um apelo ambiental, para que haja uma preservação das áreas de proteção que irão margear essa rodovia” – Adler Silveira.

Ao final da apresentação, foi exibido um vídeo que mostrou de forma detalhada os componentes do projeto, as mudanças propostas, o alcance e os custos. O estudo, de grande relevância estrutural para a região metropolitana, foi disponibilizado para apreciação dos deputados.

Fonte: Governo PA

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS

error: Entre em contato conosco para solicitar o uso de nosso conteúdo