ITAITUBA

Promotor de Justiça se manifesta com relação ao homem que está aterrorizando donas de lojas, em Itaituba

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin


Rivane Pessoa é dona de uma loja de confecções na travessa São José, no bairro Bela Vista. A empresária, relata que viveu momentos de terror dentro de seu estabelecimento comercial, que segundo ela foi invadido por um homem identificado apenas por Rony e que aparenta ser doente mental ou usuário de algum tipo de substância. Revoltada com a situação, a jovem empresária fez uma publicação na internet mostrando sua indignação e cobrando providências das autoridades locais.

LEIA TAMBÉM:  Acusações contra morador de rua de Itaituba vem repercutindo nas redes sociais


A loja de confecções Rivane Modas, não foi a única que o homem visitou nos últimos dias, outras donas de lojas da cidade também fizeram relatos nas redes sociais contando que viveram a mesma situação e cobram providências dos órgãos competentes. Em um vídeo publicado na internet o mesmo homem faz ameaças e diz que já assassinou uma pessoa a pauladas no bairro da liberdade. 

O promotor de justiça, doutor Ítalo Costa Dias, disse que, ao tomar conhecimento dos problemas causados pelo homem identificado por Rony, já entrou em contato com o Centro de Referência Especializada de Assistência Social ( CREAS) e com a  Secretaria de Assistência Social para obter informações sobre o histórico do homem para que possa ser feito um trabalho de assistência social com acompanhamento  psicológico e talvez até o encaminhamento do mesmo para um tratamento especializado fora do município de Itaituba. 

O promotor disse que nesse momento de pandemia os trabalhos do ministério público estão sendo desenvolvidos de forma remota, e para facilitar a vida das pessoas disponibilizou o site: www2.mppa.mp.br/manifestação, para que os usuários possam acessar e preencher um formulário com as denúncias. A partir dessas informações o ministério público poderá tomar alguma providência dentro do que for solicitado pelo usuário.  O promotor também disse que quando existe o laudo que confirma a doença mental é uma responsabilidade do CREAS juntamente com a secretaria de assistência social adotar as devidas providencias.

Já o ministério público por sua vez, busca fazer com que as responsabilidade sejam cumpridas garantindo assim a integridade das pessoas que se sentirem prejudicadas bem como da pessoa suspeita, quando o mesmo possuir laudos que comprovem sua deficiência mental.

On News

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS