ITAITUBA

Promotoria de Justiça ajuiza ação civil pública para prorrogação de lockdown em Santarém

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin


Ação Civil Pública contra a suspensão injustificada tecnicamente do “lockdown” no município de Santarém, oeste do Pará, foi ajuizada pela Promotoria de Justiça nas primeiras horas desta segunda-feira (25), contra o Estado do Pará, Secretaria Estadual de Segurança Pública e Município. A ACP pleiteia a prorrogação por mais sete dias, uma vez que suspensão não teve qualquer informação técnica que subsidiasse e demonstrasse a viabilidade do retorno das atividades não essenciais.


Sede da Promotoria de Justiça em Santarém, no Pará — Foto: Lila Bemerguy/MPPA em Santarém/Divulgação

O lockdown vigorou em Santarém de 19 a 24 de maio, e a suspensão foi anunciada no sábado (23). A ACP requer a concessão de liminar para compelir o município, por meio de ato de gestão municipal, a prorrogar as medidas de lockdown em Santarém, ou sendo diretamente proibidas pelo Juízo as atividades já elencadas como não essenciais no Decreto Estadual 729/2020.

A promotoria requer ainda que seja determinado ao Estado do Pará e Secretaria Estadual de Segurança Pública, que as Polícias Civil e Militar, deem cumprimento à medida estabelecida, planejando e realizando atividade de fiscalização diárias de forma preventiva e repressiva (se for o caso), com cronograma a ser apresentado ao Juízo, onde se identifique medidas coordenadas, a partir dos dados técnicos disponíveis nas secretarias de saúde, que apontam para as áreas que merecem maior monitoramento e realização de contenções com a finalidade de ver cumprido o isolamento social desejado.

Em caso de identificação de cidadãos em descumprimento ao determinado, que seja representada à autoridade policial, solicitando adoção de medidas que visem a responsabilização criminal destes, bem como o pagamento de multa, nos termos do art. 6º do Decreto Estadual nº 729/2020, no valor de R$150,00 a cada pessoa identificável que descumprir as medidas de isolamento social.

De acordo com a Ação, as medidas judiciais requeridas justificam-se pelo fato de que as estatísticas diárias publicadas pelos órgãos competentes não indicam que, até a presente data, houve redução de novos casos de infecção humana pelo covid-19 em Santarém.

G1 PA

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS

error: Entre em contato conosco para solicitar o uso de nosso conteúdo