ITAITUBA

Reunião com grupo de feirantes discute sobre o funcionamento do Mercadão Municipal de Itaituba

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin


Na manhã desta terça-feira (28), uma reunião que contou com a presença de cerca de 50 feirantes com sua representante e também da Secretaria Municipal de Agricultura, discutiu sobre como se dará o funcionamento do Mercadão Municipal de Itaituba. 
Reunião aconteceu na manhã desta terça-feira (28) na SEMAGRA. Foto: Weslen Reis/Plantão


Conforme a secretária do órgão, o encontro realizado nas instalações da secretaria foi necessário para que se fosse esclarecido alguns pontos quanto à distribuição e ocupação de espaços pelos feirantes no interior do Mercadão, o qual ainda não tem data definida para inauguração.

Reunião aconteceu na manhã desta terça-feira (28) na SEMAGRA. Foto: Weslen Reis/Plantão

Um dos pontos que causou mais divergências no ponto de vista entre os participantes da reunião, gira em torno do método de alocação de feirantes nas bancas e a quantidade existente no Mercadão. Segundo informações, são 120 feirantes para somente 34 bancas de venda.

Mercadão Municipal de Itaituba. Foto: Weslen Reis/Plantão


Posicionamento de feirantes

Durante o lançamento de propostas, Genésia Constância, conhecida como ‘Morena’, que atua no mercado como feirante, evidenciou em entrevista seu ponto de vista sobre o método que cogita-se adotar para a distribuição de espaço no interior do Mercadão, entre os feirantes.  

“Vão chamar os antigos, que nem atuam mais na feira. Vão fazer a seleção e o que sobrar é que eles vão querer colocar num sorteio, na verdade sorteio não, por ‘ponta de dedo’. Não é da maneira que eles pensam, nós precisamos trabalhar, não temos local pra ir”, pontuou. 

Ainda assim, João do Camarão, outro feirante, demonstrou preocupação com a classe ao comentar que o espaço do Mercadão é insuficiente para abrigar todos os feirantes. Além disso, se mostrou insatisfeito sobre o método de distribuição de espaços, insatisfação está enfatizada por outros feirantes como o Sr. Braz, vendedor peixes. 

“Estou preocupado por todos. Quem pegar as bancas da frente, vai vender. Quem pegar lá pra trás, se ‘lasca’, vão ‘morrer’ gritando lá para trás porque os clientes não vão pra lá. Tem que ser sorteio, não tem esse negócio de escolher por tempo de serviço”, destacou João.

Por outro lado, o vereador David Salomão, que se fez presente na reunião, se posicionou dizendo que a proposta apresentada pela Secretaria de Agricultura não atende o interesse coletivo, tendo em vista a disparidade entre o número de feirantes e a quantidade de boxes no Mercadão.

Em levantamento de outras possibilidades a serem analisadas neste caso, o vereador destacou que é o momento de o município realizar a qualificação do espaço (relembrou o que foi feito no mercado Ver-o-peso), para tanto dá viabilidade aos feirantes de venderem seus produtos da melhor forma e com estrutura ao nível, quanto embelezar o meio ambiente local.

“Eu acho que isso é possível fazer, basta que se tenha vontade política”, comentou o vereador. 

Plantão 24horas News

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS