ITAITUBA

Seduc realiza 1º “Professor SuperAção” e enaltece dedicação no ensino remoto

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin


Com o objetivo de conhecer e premiar práticas exitosas de professores durante a pandemia, o “I Prêmio Professor SuperAção – Reinventando-se em tempos de pandemia: à luz do olhar docente” realizou na última quinta-feira (10), sua premiação de estreia. Criado na 8ª Unidade Regional de Ensino (URE) da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), em Castanhal, o projeto reconheceu as propostas de destaque de dez docentes colocadas em prática durante este período de aulas remotas.

Coordenadora de Projetos Educacionais do Núcleo Esporte e Lazer (NEL) da Seduc, onde atuam duas professoras que estão dentre os ganhadores do título Professor SuperAção, Ana Cláudia Neves confirma que esse tipo de iniciativa tem a ver com a própria missão do departamento que ela lidera. “Para nós é importante essa premiação, que contempla a responsabilidade social do próprio Núcleo, e reconhece a presença do Estado em todos os municípios. Um trabalho coletivo da 8ª URE que merece nossos parabéns”, admite.

Adriane de Brito Silva Costa ficou em 2º lugar com o tema Práticas Corporais de Lazer em Tempos de Pandemia, enquanto que Francymara Sousa Barros ficou em 6º com o projeto “Equoatividades em casa”. Idealizadora da premiação, Izabel Matos reforça que o título visa estimular que os professores sigam trabalhando com empenho e sempre se reinventando. A expectativa é de que, em breve, a produção seja lançada no formato e-book, além da inscrição do artigo no Centro de Formação de Profissionais da Educação Básica do Estado do Pará (Cefor) e em Congresso Científico de Educação.  
 
“Ser professor em tempos habituais já é uma tarefa desafiadora, e, em tempos de pandemia tem sido quase impossível. O trabalho docente que estávamos habituados envolvia relações interpessoais presenciais com os alunos. Então mais do que nunca esses professores superaram-se, e foram capazes de buscar conhecimento, de desenvolver-se autonomamente diante da exigência tecnológica e digital, para alcançar os alunos do outro lado da tela do computador, assim como buscando alternativas criativas para alcançar àqueles excluídos do sistema digital”, elogia Izabel.  

Fonte: Governo PA

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS

error: Entre em contato conosco para solicitar o uso de nosso conteúdo