ITAITUBA

TerPaz encerra as atividades de 2020 com mais de 110 mil beneficiamentos

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin


Moradores exibem a certificação do curso de Agentes Ambientais no Icuí-Guajará, em Ananindeua, entre tantos outros eventos do TerPazJudith Alves, de 41 anos, é moradora da Terra Firme, trabalha com delivery de comida e já participou de várias ações do programa Estadual Territórios Pela Paz, mas foi esse ano que ela aproveitou uma oportunidade única oferecida pelo TerPaz, voltar a estudar.

“Eu sempre tive um sonho de fazer um curso da área da saúde e fiquei sabendo que o TerPaz estava ofertando vagas para um curso de Técnico de Enfermagem pela Sectet, em parceria com o Senac, eu não pensei duas vezes e me inscrevi, foram vários processos até eu ser chamada oficialmente e agora estou aproveitando cada momento, o curso é incrível, os professores são ótimos, eu só tenho a agradecer o governo por essa oportunidade”, contou a mais nova Técnica de Enfermagem, em formação, da Terra Firme.

Assim como a Judith, muitas outras pessoas foram beneficiadas com as ações do TerPaz. Desde 2019, a Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac) vem avançando e colhendo bons resultados com programa, responsável por coordenar e articular as ações que envolvem 36 secretarias e órgãos parceiros em sete territórios da Região Metropolitana de Belém: Cabanagem, Benguí, Guamá, Terra Firme, Jurunas, Icuí-Guajará, em Ananindeua e Nova União, em Marituba.

Vistoria da Seac em terreno da Usina da Paz, complexo que garantirá a moradores acesso ao esporte, lazer, saúde, cultura, serviços etcÉ o caso da professora Maria Helena Santana, de 45 anos, moradora do Jurunas, que, por meio das ações de saúde do TerPaz, conseguiu um encaminhamento para uma cirurgia e uma consulta para a mãe. “Desde 2017 eu estava tentando me operar da vesícula e não conseguia, mas eu consegui encurtar essa espera quando participei de uma ação de saúde do TerPaz. Consegui também um cardiologista para a minha mãe e remédios para controlar a pressão dela. O TerPaz foi a melhor coisa que fizeram, a comunidade precisa e muito desse programa. Espero que continue”, afirmou a professora.

Números – As ações continuaram, ao longo desse ano, em escolas públicas dos bairros, centros comunitários, delegacias e instituições parceiras. Segundo levantamento da Câmara Técnica Intersetorial do TerPaz, de janeiro a dezembro de 2020, foram realizadas ações por 36 órgãos que resultaram em 110.963 beneficiamentos.

A Sespa foi responsável pela maior parte das pessoas atendidas, ofertando serviços de distribuições de medicamentos, vacinação, atendimentos médicos especializados, avaliações nutricionais, regulações e exames, resultando em 86.499 beneficiamentos.

Para o secretário Estratégico de Articulação da Cidadania, Ricardo Balestreri, em 2020, foi preciso se adequar para continuar atendendo uma população que precisava de apoio. “Em que pese todas as dificuldades causadas pela pandemia nos últimos meses, nossas ações foram um sucesso de articulação, tanto que na primeira etapa de prestação de contas em junho, nós já tínhamos mais de 40 mil atendimentos realizados e, de lá para cá, já realizamos dezenas de milhares de novos atendimentos”.

“Mas com a chegada da pandemia, foi preciso reorganizar a maneira de se fazer esses atendimentos, uma vez que as ações do TerPaz normalmente aglomeravam pessoas, então nós reinventamos a maneira de fazer isso, pois não podemos nos deixar intimidar pela pandemia com esse grupo valente de secretarias e órgãos de governo, que continuam atendendo a nossa população dos sete territórios pela paz na Região Metropolitana de Belém. Enquanto isso, a população continua recebendo serviços de muita qualidade nos campos da cidadania, inclusão social e segurança pública”, concluiu Ricardo Balestreri.

Intensificação do policiamento nos territórios aponta queda na criminalidade nos sete bairros atendidos pelo Programa TerPazRedução da Violência – Os dados da Secretaria de Inteligência e Análise Criminal (Siac), vinculada à Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), apontam uma queda na criminalidade nos sete bairros atendidos pelo TerPaz.

Ao comparar o período de 1º de janeiro a 07 de dezembro dos anos de 2019 e 2020 é possível afirmar que houve uma redução de 10,53% nos crimes violentos letais intencionais e de 22,80% nos casos de roubo no Icuí-Guajará; 29,28% nos casos de roubo no Benguí; 42,86% nos crimes violentos letais intencionais e 2,28% nos casos de roubo na Cabanagem; 38,30% nos crimes violentos letais intencionais e 21,82% nos casos de roubo no Guamá, 37,26% nos casos de roubo no Jurunas; 61,11% nos crimes violentos letais intencionais e 23,19% nos casos de roubo na Terra Firme; 10% nos crimes violentos letais intencionais e 45,55% nos casos de roubo em Marituba.

O morador do Jurunas, Carlos Eduardo Sepeda confirma essa redução. “Antigamente a gente não podia sair de casa, principalmente à noite, era muito perigoso, agora a gente percebe que essa realidade de insegurança mudou, estamos vendo a polícia mais presente, o bairro está mais tranquilo, em relação à criminalidade que predominava”, comentou Carlos.

Pandemia – Mesmo em um ano difícil, em decorrência da pandemia da Covi-19, o TerPaz se adequou e levou diversas ações aos moradores dos sete territórios. Uma delas foi a distribuição de cestas de alimentação, em parceria com a Ouvidoria Geral do Estado (OGE), para pessoas idosas e em situações de extrema vulnerabilidade, totalizando 2.450 cestas doadas.

Além da realização de ações da Policlínica Itinerante da Sespa, que foi até aos bairros do TerPaz, instalando postos de atendimento nas escolas públicas, resultando no atendimento específico de 12.228 pacientes com sintomas leves e moderados da Covid-19.

A ação que a Seac está coordenando no momento é o projeto “Costurando a Paz”, em parceria com a Fábrica Esperança, que neste período de pandemia capacitou 45 costureiras, moradoras dos bairros atendidos pelo TerPaz. Essas costureiras produziram 80 mil máscaras que já estão sendo distribuídas e doadas nos próprios territórios. Cada costureira ganhou uma porcentagem por unidade confeccionada.

A costureira Sílvia Alves é uma das participantes. Ela acredita que o projeto está ajudando muitas pessoas. “Eu nunca tinha costurado em uma máquina industrial, então está sendo muito gratificante eu participar desse projeto, é uma experiência que todas nós estamos gostando, conhecendo coisas novas e, além de ganhar uma renda extra, ainda estamos ajudando outras pessoas dos nossos bairros a se proteger contra esse vírus”, disse.

Maquete do projeto da Usina da Paz no bairro do Icuí-Guajará, um dos sete territórios cobertos pelo TerPaz na Região MetropolitanaUsinas da Paz – É um dos projetos prioritários do Governo do Estado. Coordenadas pela Seac, as Usinas da Paz consistem em grandes complexos públicos, em áreas de aproximadamente 10 mil m², com a finalidade de garantir a permanência do Estado nos territórios, com ênfase na prevenção à violência, inclusão social e fortalecimento comunitário, com sete eixos fundamentai: 1. Capacitação técnica e profissional, educação básica, arte e cultura. 2. Emprego e renda, microcrédito e empreendedorismo, economia solidária. 3. Habitação, regularização fundiária e urbanização. 4. saúde, esporte/lazer, assistência social. 5. Tecnologia e inclusão digital. 6. Meio ambiente e sustentabilidade. 7. Mediação de conflitos e prevenção a violência.

Serão 10 Usinas da Paz construídas, sete nos bairros atendidos pelo TerPaz e em mais três cidades da região sudeste do Estado (Parauapebas, Canaã dos Carajás e Marabá). As obras são executadas em parceria com as empresas Vale e Hydro, que estão arcando integralmente com os custos. O governo não receberá nenhum recurso econômico, mas receberá as Usinas prontas e equipadas.

A empresa Vale é a responsável pelos projetos executivos das unidades da Cabanagem, Benguí, Icuí, Nova União, Parauapebas, Canaã dos Carajás e Marabá. Já por parte da Hydro, o investimento será destinado à construção dos espaços nos bairros do Guamá, Terra Firme e Jurunas.

Avanço – As obras nos terrenos da Cabanagem, Icuí, Nova União e em Parauapebas seguem em ritmo acelerado. A previsão é de essas unidades sejam entregues no primeiro semestre de 2021.

As UsiPaz terão complexos esportivos, salas de audiovisual, inclusão digital e vários serviços, como atendimento médico e odontológico, consultoria jurídica, emissão de documentos, ações de segurança, atividades profissionalizantes, espaço multiuso para feiras, eventos e encontros da comunidade. Também haverá espaços para cursos livres, dança, artes marciais, musicalização e biblioteca.

Além de democratizarem o acesso ao esporte, lazer e à produção cultural, essas atividades concretizarão a convivência comunitária e propiciarão a prestação de serviços pelas secretarias e órgãos estaduais  envolvidos no TerPaz.

Fonte: Governo PA

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS

error: Entre em contato conosco para solicitar o uso de nosso conteúdo