ITAITUBA

Universidade do Estado do Pará forma mais 16 médicos em 2020

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin


A Universidade do Estado do Pará (Uepa), por meio do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS), antecipou a entrega do diploma para mais 16 discentes do curso de Medicina na quinta-feira (3), no auditório da Unidade de Ensino e Assistência em Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Ueafto), em Belém.

A entrega do diploma ocorreu em cumprimento à solicitação dos alunos, a partir da Medida Provisória nº 934, do Governo Federal. Em vigor desde abril de 2020 pelo Ministério da Educação (MEC), a MP estabelece normas excepcionais sobre a educação básica e de nível superior, decorrentes das medidas para enfrentamento da situação de emergência de saúde pública, em função da pandemia do novo coronavírus.

Segundo a diretora do CBBS, Vera Palácios, esse momento é mais uma das ações da Universidade que objetiva oferecer mais profissionais de saúde para trabalharem na linha de frente do combate à Covid-19 no estado do Pará. 

“A Uepa, ligada ao seu papel social dentro do nosso território, decidiu antecipar a entrega dos diplomas do curso de Medicina, após a solicitação dos alunos, como uma forma de oferecermos novos profissionais capacitados para atuarem contra esse vírus que ainda nos assola. Portanto, hoje é um momento ímpar na vida desses discentes e dessas famílias, assim como, também para a saúde paraense” – Vera Palácios, diretora do CBBS.

Além da diretora do CCBS, também participou do momento a coordenadora do Curso de Medicina, Djenanne Simonsen; a paraninfa da turma, Roberta Koyama; a patrona da turma, Mariane Franco; e a professora Regina Carneiro, escolhida para ser o nome da turma.

A entrega do diploma não contou com solenidade para não aglomerar pessoas, em função das orientações do Ministério da Saúde e do Decreto Estadual 698/2020. O momento contou apenas com a entrega do documento para os discentes, que estavam acompanhados de paraninfo e de um membro da família.

Esse formato de outorga de grau, sem as tradicionais cerimônias, não tira o brilho e a conquista do diploma. A felicidade foi a regra da noite, após o recebimento do canudo. 

“O meu amor pela Uepa é imenso e vai além da Medicina, pois esta instituição é uma mistura de alunos, professores, gestores e funcionários, uma universidade que cuida da gente na mesma medida que cuidamos dela. Espero poder um dia retornar para esta casa e poder contribuir como docente, retribuindo a ela tudo o que um dia ela me deu” – Talissa Ribeiro, recém-formada em Medicina.

Fonte: Governo PA

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS