ITAITUBA

Usina de oxigênio será agora instalada na Unidade de Pronto Atendimento, em Itaituba

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin


A usina de oxigênio, que a princípio estava prevista para ser instalada em anexo ao Hospital Municipal de Itaituba, sofreu uma mudança de planos após a realização de uma análise que comprovou que sua utilidade seria mais eficiente na estrutura da UPA, onde são realizados os atendimentos a pessoas assintomáticas ao novo Coronavírus. 
Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Foto: reprodução.
De acordo com o Secretário de Saúde, Adriano Coutinho, o Hospital Municipal consumia, em tempos de lotação, 15 a 20 cilindros por dia, enquanto que na UPA, só no dia de terça-feira (09), foi consumido 60 cilindros. O secretário informou que os fornecedores de cilindros de oxigênio não estão conseguindo suprir a demanda. Dessa forma, levando em consideração a dificuldade das empresas em fornecer essa quantidade de oxigênio, a usina será instalada na UPA. 
Segundo o levantamento da Secretaria de Saúde, sobre a demanda de consumo de oxigênio, antes da pandemia, a secretaria gastava cerca de 20 a 25 mil reais por mês de oxigênio. “Com a pandemia, só ontem, a secretaria gastou cerca de 16 mil reais de oxigênio, só no dia de ontem”, ressaltou Adriano Coutinho. A usina será para também suprir o controle dos gastos. 
Com a produção dos gases na Unidade de Pronto Atendimento, de forma interina, os serviços de transportes de cilindros não serão mais necessários. Adriano Coutinho ressaltou que a partir do plano de enfrentamento à Covid-19, houve mudança de fluxo no Hospital Municipal, o que contribuiu para a decisão de mudança da estrutura da usina de oxigênio nesse momento de pandemia. 
Plantão 24horas News, com informações do repórter Márcio Vieira

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS