ITAITUBA

Valmar Munduruku, vice-prefeito de Jacareacanga, é transferido para sede da Funai

Valmar Kaba Munduruku, de 46 anos, o vice-prefeito de Jacareacanga

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Na manhã deste sábado (10), Valmar Kaba Munduruku, de 46 anos, o vice-prefeito de Jacareacanga, foi transferido para a sede da Fundação Nacional do Índio (FUNAI) do município de Jacareacanga, sudoeste do Pará, cidade na qual mantém residência fixa. O acusado estava detido desde a última quinta-feira (08), quando se entregou a Polícia Federal (PF) na delegacia de Itaituba, em cumprimento de um mandado de prisão preventiva decretado pela justiça em decorrência da Operação Mundurukânia II.

De acordo com Sérnio Vasconcelos, advogado de Valmar, ele explicou que seu cliente está sendo formalmente acusado por três tipificações penais que estão ligadas entre si, a primeira por associação criminosa, formação de milícia privada; a segunda por crimes contra a segurança do transporte aéreo nacional; e o terceiro por coação no curso do processo.

“As acusações feitas contra o vice-prefeito se realizaram através de um áudio vazado de uma conversa do vice-prefeito com uma outra pessoa, identificada como “Marrom”, […] mas a conversa não apresenta evidências para tamanha acusação, e é um áudio de uma conversa privada que foi divulgada sem o consentimento dele, que inclusive a Polícia Federal obteve de maneira ilegal, […] inválida, e nós iremos pedir que seja segregada do processo, porque ela (a conversa) não possui elementos de legalidade para o processo”” relatou o advogado de Valmar.

O traslado do vice-prefeito, saiu por volta de 10h30, e foi realizado por um carro da FUNAI e acompanhado pela defesa do acusado. Valmar deve continuar cumprindo medida de restrição de liberdade na sede da fundação de Jacareacanga, cumprindo o estatuto do indígena, que impede que indígenas frequentem o ambiente carcerário comum.

Valmar, ficará detido em Jacareacanga até que sua defesa consiga protocolar o recurso de revogação definitiva da prisão, para que o vice-prefeito possa responder ao processo em liberdade; ou medidas diversas, como monitoramento eletrônico ou prisão domiciliar.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS