ITAITUBA

Vídeo mostra momento de queda de avião que saiu de Piracicaba, SP, com destino ao Pará

Incêndio causado pela explosão da aeronave destruiu parte de uma plantação de eucalipto. Foto: reprodução/Redes sociais.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Sete pessoas morreram após um avião cair em Piracicaba (SP) na manhã desta terça-feira (14). A aeronave caiu em uma área de mata no bairro Santa Rosa e, com a explosão, um incêndio teve início no local.

Segundo o Corpo de Bombeiros, no avião bimotor modelo King Air B200, ano 2019, prefixo PS-CSM, estavam o sócio da Raízen Celso Silveira Mello Filho, 73 anos, sua esposa Maria Luiza Meneghel, 71 anos, e os 3 filhos do casal: Celso Meneghel Silveira Mello, 46 anos, Camila Meneghel Silveira Mello Zanforlin, 48 anos, e Fernando Meneghel Silveira Mello, 46 anos. Também morreu o piloto Celso Elias Carloni, 39 anos, e o copiloto Giovani Dedini Gulo, 24 anos.

As vítimas foram carbonizadas e morreram no local. O Corpo de Bombeiros já localizou os sete corpos, segundo a Prefeitura de Piracicaba, e aguarda a conclusão da perícia para liberação.

Em nota, a empresa Raízen confirmou a morte do empresário Celso Silveira Mello Filho e família. “Celso era acionista e irmão do presidente do Conselho de Administração da companhia, Rubens Ometto Silveira Mello.”

Segundo a empresa, também estavam no avião a esposa de Celso, Maria Luiza Meneghel, seus três filhos, Celso, Fernando e Camila, o piloto Celso Elias Carloni e o copiloto Giovani Gulo.

Ainda de acordo com os bombeiros, o avião saiu do Aeroporto Municipal Pedro Morganti, em Piracicaba, com destino ao Pará e caiu logo depois, pouco antes das 9h, em uma área verde ao lado da Faculdade de Tecnologia do Estado de São Paulo (Fatec).

Segundo a Prefeitura de Piracicaba, a queda da aeronave aconteceu cerca de 15 segundos após a decolagem, em uma plantação de eucaliptos. A causa do acidente ainda é investigada.

Um vídeo registrado por uma câmera de segurança, que está no início da reportagem, mostra o momento que o avião cai ao fundo de um condomínio. Após atingir alguns eucaliptos durante a queda, a aeronave explodiu e teve início um incêndio na mata ao lado da Fatec. O combustível da aeronave espalhou pela área e os bombeiros foram acionados para controlar as chamas.

Vídeo:

Equipes policiais e o Corpo de Bombeiros foram deslocadas para o local e a área foi isolada para a perícia. A equipe do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), da Força Aérea Brasileira (FAB), chegou por volta de meio-dia para apurar a queda do avião.

Resgate e apuração

A Prefeitura de Piracicaba informou que montou uma força-tarefa reunindo várias secretarias municipais e Serviço Municipal de Água e Esgoto (Semae), para ajudar no resgate e para conter as chamas que se alastraram pela vegetação, após a explosão do avião.

Cerca de 100 pessoas foram mobilizadas no local para auxiliar na ocorrência, segundo a administração. O prefeito Luciano Almeida (DEM) foi até o local e se pronunciou sobre o acidente.

“Pessoal muito querido, amigos pessoais, do meu pai principalmente. Pessoas que eu tenho um apreço muito grande e infelizmente nós tivemos essa tragédia inexplicável. Uma aeronave novíssima, tinha acabado de sair da revisão ontem, um dos aviões mais seguros desse mundo. É um dia muito triste para Piracicaba.”

Logo após o acidente, o prefeito decretou luto oficial de três dias no município pelas mortes dos ocupantes do avião.

A área permanece isolada para a perícia. O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), da Força Aérea Brasileira (FAB), informou em nota que foi acionado e vai fazer uma “ação inicial” no local.

Nessa ação os investigadores identificam indícios, fotografam cenas, retiram partes da aeronave para análise, ouvem relatos de testemunhas e reúnem documentos. O objetivo, segundo o órgão, é prevenir que novos acidentes com características semelhantes aconteçam.

Documentação

O acidente será investigado pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), da FAB.

O Registro Aeronáutico Brasileiro, da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) aponta que o avião acidentado tratava-se de um bimotor modelo B200GT, conhecido como King Air, fabricado em 2019 pela Textron Aviation. O avião tem capacidade para piloto, co-piloto e mais seis passageiros.

A aeronave era operada pela CSM Agropecuária, de propriedade de Celso Silveira Mello Filho. O certificado de verificação de aeronavegabilidade do avião estava dentro da validade (até 13 de setembro de 2022).

Manutenção

Um funcionário do aeroporto de Piracicaba informou à EPTV, afiliada da TV Globo, que o avião tinha chegado nesta segunda-feira (13) da revisão, estava pronto para decolar e em ótimo estado.

Explicou também que o avião era turboélice, que é quando funciona a querosene. Essa tecnologia, segundo o profissional, torna o avião mais potente e seguro.

Imagens e perícia podem ajudar apuração, diz especialista

Comandante de uma linha aérea e especialista na área de aviação, Rui Lange explicou que imagens que flagraram a queda, perícia do local do acidente e destroços são alguns dos fatores que devem ser levados em conta durante a apuração da polícia e do Cenipa.

“Basicamente é coleta de dados, informações e pela análise dos destroços. Os especialistas, só de olharem o estado de uma hélice sabem dizer se este motor estava virando ou estava sem potência. Então, é fundamental que as equipes consigam colher o maior número de dados possíveis analisando destroços e, consequentemente, junto com as imagens, vão conseguir chegar a um resultado”, detalhou.

De acordo com ele, a aeronave pode transportar de oito a dez pessoas, incluindo piloto e co-piloto, e é conhecida por sua versatilidade.

“Esse avião é excelente. É muito versátil. É um avião que tem boa autonomia, boa potência, ainda mais esse envolvido no acidente, fabricado em 2019, é um avião muito novo. Então, as investigações vão dizer o que ocorreu com essa aeronave. E nesse caso tem muitas imagens do acidente que vão auxiliar as equipes chegar à causa”, acrescentou.

De acordo com ele, este avião também tem como característica a possibilidade de operar em pistas despreparadas. “É muito recomendado para quem tem fazendas, agropecuária, esse tipo de atividade utiliza muito esse tipo de avião. […] Ele opera em pista curta também e ela pode ser uma pista não pavimentada. Ele tem essa facilidade que às vezes um jato não tem”.

Fonte: G1 Piracicaba e Região.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS