terça-feira, maio 21, 2024

CBF finaliza capacitação de 15 professores para o projeto Gol do Brasil na unidade Belém

Quinze instrutores participaram da capacitação promovida pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), em 4 e 5 de novembro, com o apoio da Secretaria de Esporte e Lazer do Estado (Seel). A iniciativa objetiva o ensino da metodologia pedagógica da CBF Social e manter a alta qualidade de ensino por todo o País.

A equipe de voluntários foi preparada pelo professor, Bruno Silva, instrutor do CBF. Ele apresentou o projeto Gol do Brasil e seus objetivos e ministrou dinâmicas em aula prática no campo do Centro Esportivo da Juventude (CEJU).

Durante o curso, houve a palestra ‘O Ensino Sobre as Habilidades de Vida’, realizada por Fernando Truyts, coordenador socioeducacional do Flamengo, que abordou as Dez Habilidades de Vida estabelecidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS). No encontro, foram realizadas dinâmicas para estimular o debate sobre aprendizado e desenvolvimento dos futuros alunos do projeto.

“A sensação de ser instruído para se tornar um professor no projeto faz mais sentido, pois já estive do outro lado. E, já ter vivido isso, consigo entender a realidade de cada um deles.  Com o curso, vou colocar um pouco da minha experiência usando as dez habilidades de vida”, disse Ray Ferreira, ex-aluno.

“A nossa expectativa é muito grande, porque vamos ter um reforço nas aulas do Gol do Brasil. A entrada de novos voluntários vem para somar o trabalho que tem sido desenvolvido no projeto, e nos proporciona a percepção de que estamos conquistando reconhecimento na unidade de Belém”, ressalta Rayssa Talino, coordenadora do projeto em Belém.

Em Belém, as aulas presenciais do projeto Gol do Brasil retornaram em 19 de outubro, com 113 alunos. Atualmente, também estão funcionando as unidades das cidades de Recife, em Pernambuco; Maceió, em Alagoas e Teresópolis, no Rio de Janeiro.

O coordenador técnico do CBF Social, Bruno Rosell, informou que os instrutores receberam elementos recomendados pela ONU e pela OMS que servirão de base para os desafios diários. “Os professores voluntários têm um perfil muito bom e têm mostrado conhecimento prévio das metodologias”, finaliza.

*Texto de Bianca Rodrigues

Por Governo do Pará (SECOM)

RELACIONADOS

Mais Visualizados