quarta-feira, fevereiro 21, 2024

Como a tecnologia aplicada aos meios de pagamentos impacta as preferências dos apostadores?

A preferência brasileira por priorizar o uso da internet via celular influencia diretamente na experiência de jogo e pagamento nos cassinos online.

A quantidade de casas com acesso à internet no Brasil está na casa dos 80%, segundo a pesquisa TIC Domicílios 2022, realizada pelo Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br). Ou seja, 60 milhões de lares conectados, aproximadamente 27 milhões a mais que em 2015 (51%) quando o primeiro relatório foi apresentado.

A conectividade também faz parte do dia a dia de mais de 80% da população, correspondendo a quase 150 milhões de brasileiros. Desse total, 62% dos usuários utilizam a internet somente pelo celular. O acesso único por telefone é maior na zona rural, com 78% dos usuários, enquanto na área urbana a exclusividade do celular é somente para 59% da população.

E essa preferência brasileira por priorizar o uso da internet via celular influencia diretamente na experiência tanto de jogo quanto operacional com as plataformas de jogos digitais. Um estudo recente da ENV Media se aprofundou na integração e no impacto das soluções de pagamento no cenário igaming, enfatizando a necessidade de transações fáceis de usar e eficientes. 

Portanto, esse relatório investiga o setor de jogos online em rápida evolução no Brasil, apresentando percepções dos usuários sobre segurança e praticidade dos métodos de pagamento popularmente usados ​​para jogos online.

Peso da tecnologia no mercado de jogos de cassino no Brasil

O mercado de jogos de cassino online no Brasil é significativamente influenciado por diversos fatores relacionados à tecnologia. Dois deles também têm impacto nas transações de pagamento – a utilização (dominante) de dispositivos móveis e o papel vital da conectividade à Internet nas decisões de jogo.

1. Dispositivos Móveis Dominam as Transações:

76% dos gamers brasileiros preferem utilizar celulares ou tablets para transações online, destacando a conveniência desses dispositivos.

2. Computadores e Flexibilidade:

12% ainda dependem de computadores, enquanto outros 12% mostram flexibilidade, não demonstrando preferência clara entre dispositivos móveis e computadores.

3. Importância da Orientação para Dispositivos Móveis:

A orientação dos usuários para dispositivos móveis é um pilar da indústria, enfatizando a necessidade de sites de jogos para celular bem ajustados.

4. Digitalização dos Pagamentos:

O aumento dos pagamentos por QR Code e a adoção do PIX nos grandes varejistas refletem a mudança para processos financeiros digitalizados.

5. Impacto da Conectividade na Experiência de Jogo:

36% consideram ocasionalmente a qualidade da Internet, enquanto 12% a consideram crucial em suas decisões de jogo, destacando a importância da infraestrutura de Internet móvel.

6. Transição para Pagamentos Móveis

De 2011 a 2021, métodos de pagamento tradicionais diminuíram, e 10% dos brasileiros agora preferem smartphones para pagamentos diários, especialmente entre pessoas de 16 a 29 anos.

Tendências dos Pagamentos iGaming: Tendências Previstas

O cenário de pagamentos digitais na indústria iGaming está em constante evolução, com tendências previstas incluindo:

  • Mudança sustentada para métodos de pagamento digitais instantâneos.
  • Alterações regulatórias para adaptar a legislação às tecnologias emergentes.
  • Maior foco em inovação e colaboração entre instituições financeiras tradicionais e fintech.

Brasil como referência no avanço dos pagamentos digitais

O Brasil destaca-se como pioneiro em inovações de pagamento, sendo escolhido pelo Google como o primeiro país a testar um sistema de pagamentos sem contato por QR Code.

Este movimento ressalta a posição do Brasil como líder na adoção e implementação de novas tecnologias de pagamento na América Latina.

Portanto, o Brasil não apenas reflete as tendências globais na indústria de cassinos e apostas online e pagamentos digitais, mas também desempenha um papel de liderança, impulsionando a inovação e a aceitação de tecnologias emergentes na região.

Drex e suas Ramificações no Mercado iGaming e Pagamentos Digitais

A primeira emissão e movimentação do Drex pelo BMG representam um marco transformador com amplas implicações para o cenário do iGaming e as soluções de pagamento digitais, colocando o Brasil ainda mais na vanguarda dos serviços financeiros na América do Sul.

Esta iniciativa, conduzida pelo Banco Central, sinaliza uma evolução notável na digitalização financeira e promete redefinir a experiência transacional para jogadores online e entusiastas de apostas.

Possibilidades do ‘real digital’ no mercado iGaming

Ao incorporar o Drex como uma opção de pagamento, o mercado iGaming ganha uma nova dimensão de eficiência e conveniência. A natureza instantânea das transações oferecidas pelo Drex se alinha perfeitamente com as demandas do setor, onde a rapidez nas movimentações financeiras é crucial.

Jogadores têm à disposição um meio de pagamento que não apenas simplifica, mas acelera o processo de depósitos e saques, aprimorando a experiência do usuário nos cassinos online.

Afinal, a introdução do Drex não apenas otimiza as operações financeiras, mas também abre caminho para possíveis parcerias estratégicas entre plataformas iGaming e instituições financeiras.

A facilidade de integração do Drex em ambientes digitais pode fomentar colaborações inovadoras, proporcionando aos jogadores uma gama mais ampla de opções de pagamento e fortalecendo a relação entre o setor iGaming e a evolução tecnológica.

Funcionalidades do Drex x criptomoedas

Ao integrar eficiência e praticidade, o Drex se destaca como um catalisador de transformações positivas, apontando para uma era mais digital e ágil nos pagamentos, especialmente no dinâmico ecossistema do iGaming.

Além disso, muito tem se falado sobre as similaridades entre as criptomoedas e o Real Digital. Segundo o Banco Central, criptoativos, como bitcoin e ethereum, apresentam uma grande volatilidade dificultando seu uso como meio de pagamento. Já criptoativos da categoria de stablecoins procuram corrigir esse problema vinculando seu valor a algum ativo de fora do ambiente cripto, em geral a uma moeda soberana.

Enquanto o Real Digital é uma expressão da moeda soberana brasileira, que está sendo desenvolvida para dar suporte a um ambiente seguro para que os usuários possam inovar e onde os consumidores possam ter acesso às vantagens tecnológicas trazidas por essas novas ferramentas, sem que para isso necessitem se expor a um ambiente financeiro não regulado.

RELACIONADOS

Mais Visualizados