sexta-feira, abril 12, 2024

Jovem de 18 anos é intubada por uso do cigarro eletrônico

O cantor sertanejo Zé Neto, que faz dupla com Cristiano, foi diagnosticado com monilíase oral, uma espécie de fungo, após usar corticoide para tratar as sequelas no pulmão causados pela Covid-19 e também pelo uso excessivo de vape, cigarro eletrônico.

Após ser diagnosticado com a doença, o famoso fez uma alerta. “Tá tudo bem, realmente passei por um problema sério do pulmão, devido a cigarro desses ‘vaper’, inclusive dou o alerta para quem mexe com essa bosta: para com isso, porque é um cigarro como qualquer outro e faz mal do mesmo jeito ou até mais”, disse Zé Neto.

Mas ele não é o único a ter problemas com o uso de cigarro eletrônico. Uma jovem de apenas 18 anos precisou ser intubada após ser hospitalizada com falta de ar causada pelo uso de vape. Ela foi identificada como Juliet Roberts.

De acordo com informações publicadas no portal Metrópoles, ela usava cigarro eletrônico desde os 14 anos. Os médicos afirmaram que o produto causou danos permanentes em seus pulmões.

No TikTok , a jovem contou sua história, buscando conscientizar outros jovens sobre os perigos do vape. Ela explica que acordou se sentindo gripada, e o quadro foi piorando. “Três dias depois, fui levantar da cama e caí porque não conseguia respirar, achei que fosse desmaiar. Liguei para o meu namorado, e ele me levou para o pronto-socorro”, lembra.

Durante o atendimento no hospital, a equipe médica realizou exames e ficaram chocados ao verificar a oxigenação da jovem, que estava muito baixa. O quadro piorou e ela precisou ser entubada por quatro dias.

Juliet Roberts contou que os médicos informaram que, se ela não tivesse procurado ajuda, teria morrido. “Quando você faz um raio-X, o exame deve ser preto e as partes brancas serão apenas os ossos. O meu estava todo branco“, conta.

A jovem precisará ficar em recuperação e não poderá trabalhar nos próximos meses para que os pulmões se recuperem. Como os pulmões estão comprometidos, qualquer esforço pode acarretar em um ataque cardíaco. “Meus pulmões nunca vão voltar a ser o que eram, só se tornarão fortes o suficiente para que eu consiga respirar sozinha novamente”, disse a jovem.

Com informações do Metrópoles
RELACIONADOS

Mais Visualizados