ITAITUBA

Mais de 500 mil trabalhadores recebem abono salarial no Pará; veja o calendário de pagamento

Foto: Reprodução

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin

Quase 532 mil trabalhadores do Pará receberão um total de R$ 489,8 milhões por meio do abono salarial do PIS/Pasep, segundo a Caixa Econômica Federal. Em todo o país, o benefício, que começou a ser pago nesta terça-feira (8), contemplará 22,7 milhões de trabalhadores que foram identificados, no ano base de 2020, com direito ao abono, totalizando R$ 21 bilhões.

Com relação ao ano base de 2019, do total estimado de 154 mil trabalhadores que poderiam ter direito ao benefício, após apuração, foram devidamente identificados 123,7 mil pessoas com direito ao abono salarial – um dispêndio da ordem de R$ 113,9 milhões. Trata-se dos trabalhadores remanescentes que não receberam o abono por falta ou divergências nas informações daquele ano base.

O PIS é pago a trabalhadores do setor privado. Os servidores públicos, que recebem o Pasep, receberão os pagamentos a partir do dia 15 de fevereiro. Os beneficiários podem sacar o dinheiro até o dia 29 de dezembro. Tem direito ao abono salarial quem recebeu, em média, até dois salários mínimos mensais com carteira assinada e exerceu atividade remunerada durante, pelo menos, 30 dias, no ano-base de pagamento. É preciso ainda estar inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos e ter os dados atualizados pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

O valor do abono salarial pode chegar até um salário mínimo, de acordo com a quantidade de meses trabalhados por cada pessoa. Só recebe o valor total quem trabalhou todos os meses do ano em questão. Com o aumento do salário mínimo este ano, o abono salarial passa a variar de R$ 101 a R$ 1.212. Segundo a Caixa Econômica, o calendário de recebimento leva em consideração o mês de nascimento, para trabalhadores da iniciativa privada, e o número final da inscrição NIS, para servidores públicos.

Com esse dinheiro a mais em circulação, deve haver um aumento no consumo, de acordo com o economista Valfredo de Farias. Ele diz que as lojas de bairro devem ser as maiores beneficiadas. “O comércio de bairro, o local, é nessa parte de consumo que deve impactar”, afirma. Quem receber o benefício deve priorizar o pagamento de dívidas, na opinião do especialista. “Então, ver o montante que está devendo, buscar saber quanto está pagando e tentar negociar e pagar com esse recurso. Quem não tem dívida a boa mesmo é guardar esse dinheiro, deixar reservado. E se a pessoa tiver o costume de investir, um bom investimento hoje é renda fixa”, orienta Valfredo.

Confira os calendários de pagamento do abono:

PIS (trabalhadores da iniciativa privada), por mês de nascimento

  1. Janeiro: 8/2
  2. Fevereiro: 10/2
  3. Março: 15/2
  4. Abril: 17/2
  5. Maio: 22/2
  6. Junho: 24/2
  7. Julho: 15/3
  8. Agosto: 17/3
  9. Setembro: 22/3
  10. Outubro: 24/3
  11. Novembro: 29/3
  12. Dezembro: 31/3

Pasep (servidores públicos), por final da inscrição

  • 0 ou 1: 15/2
  • 2 ou 3: 17/2
  • 4: 22/2
  • 5: 24/2
  • 6: 15/3
  • 7: 17/3
  • 8: 22/3
  • 9: 24/3

Veja como fica o valor do benefício por mês trabalhado:

  1. R$ 101
  2. R$ 202
  3. R$ 303
  4. R$ 404
  5. R$ 505
  6. R$ 606
  7. R$ 707
  8. R$ 808
  9. R$ 909
  10. R$ 1.010
  11. R$ 1.111
  12. R$ 1.212

Com informações Oliberal

Atenção: Dê o crédito caso copie nossa matéria!

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin

RELACIONADAS