terça-feira, abril 23, 2024

Polícia Civil de Rurópolis recupera roupas e outros objetos furtados de residência

A Polícia Civil de Rurópolis se deparou com um fato inusitado, uma senhora que prefere não ser identificada registrou boletim de ocorrência denunciando um misterioso desaparecimento de suas roupas, acessórios, maquiagens e jóias de sua residência. A vítima informou que passou a dar falta de suas roupas novas somente neste início do mês de março, pois estava envolvida com trabalho e assunto familiares.

A vítima passou analisar que a última pessoa de fora que esteve em sua casa teria sido uma jovem contratada no mês de Dezembro na condição de babá para cuidar do filho menor. Para surpresa da vítima ao ter acesso ao TIK TOK se deparou com várias fotos e vídeos da babá em festas, balneários e até entre familiares e amigos com os objetos furtados.

O delegado de Polícia Civil de Rurópolis, Dr. Ariosnaldo Vital Filho solicitou todas as imagens e juntamente com a vítima realizaram várias comparações com fotos anteriores da relatora de ocorrência utilizando os bens subtraídos, e não houve dúvidas quanto a autoria do crime de furto.

Até então se pensava que eram apenas uma pulseira de ouro, óculos de sol e uma saia que haviam sido furtadas, mas durante a diligência a polícia recuperou muitas peças, basicamente o guarda-roupa da vítima.

A jovem foi conduzida até a delegacia e confessou o crime, após ter visto os vídeos com as roupas da sua ex-patroa e amiga, demonstrando-se arrependida. O delegado informa que as redes sociais tem ajudado a polícia a desvendar uma série de crimes inclusive os contra o patrimônio, que inclusive tem surpreendido as vítimas que os autores geralmente são pessoas nas quais foram depositadas amizade e acima de tudo confiança, o que leva uma grande decepção e descrédito.

O que é abuso de confiança no crime de furto? A polícia explica que trata-se de uma qualificadora, conduta que qualifica o crime de furto, ou seja, torna maior a sua reprovação. No abuso de confiança, o furto é cometido por pessoa em que a vítima confiava, permitia que tivesse acesso aos seus bens, porém o réu trai a confiança da vítima para cometer o crime. Podendo ser preso e levá-lo a prisão, e de acordo com o código penal brasileiro sua penalidade é de reclusão de dois a oito anos.

Como a vítima recuperou seus objetos resolveu não proceder criminalmente contra a jovem, inclusive perdoando a sua atitude, porém a mesma foi advertida que tal ato ilícito cometido se levado adiante pela vontade da vítima poderia comprometer sua ficha criminal e trazer problemas futuros até para conseguir um novo emprego.

Fonte: Plantão 24horas News

RELACIONADOS

Mais Visualizados