terça-feira, maio 21, 2024

Cirurgia de hérnia de disco realizado no HRT permite alta de paciente em 24h

A hérnia de disco é considerada um problema comum, que em geral melhora após tratamento clínico. Entretanto, há casos de pessoas que evoluem para uma compressão neurológica grave, a qual é necessária a realização de procedimento cirúrgico, como foi o caso do vigilante Ericlenes de Aquino Santos, de 33 anos.

Natural de Óbidos, no oeste paraense, o paciente deu entrada no Hospital Regional do Tapajós (HRT) no dia 19 de janeiro, com quadro de dor lombar de fortíssima intensidade. Segundo a equipe médica do HRT, em uma escala de dor de 0 a 10, Ericlenes queixava-se de dor em 10.

“A dor era refratária (resiste) ao tratamento clínico, como medicações analgésicas, irradiando-se em choque por toda face lateral da perna direita até o pé. Evoluiu para um estado tão crítico e incapacitante que (ele) não conseguia simplesmente andar e realizar suas atividades de vida diária. Teve que abandonar a profissão de vigilante devido à dor”, relatou o médico neurocirurgião João Fabricio Palheta, responsável pela cirurgia de Ericlenes.

O paciente foi examinado pela equipe médica,  que fez o diagnóstico de hérnia de disco lombar. De acordo com o Dr. João Fabrício, a ressonância de coluna lombar do paciente mostrava uma hérnia discal volumosa, “extrusa com redução da amplitude do forâmen neural e compressão da raiz nervosa”.

Foto: Reprodução

Cirurgia

A cirurgia de microdissectomia foi a primeira desse tipo realizada no Hospital Regional do Tapajós, em Itaituba, região do sudoeste do estado. Ela é realizada através da via posterior da coluna vertebral, onde é possível “separar e liberar as estruturas neurais como o saco dural e a raiz nervosa comprimida, e com auxílio do microscópio cirúrgico realizar com segurança a retirada do componente herniado do disco vertebral”, explicou o médico.

O procedimento durou cerca de 2h30min e foi realizado no último domingo (23). O paciente recebeu alta 24 horas após a cirurgia com redução completa da dor e do déficit neurológico.

“Fico extremamente feliz e emocionado com pacientes como Ericlenes! Paciente jovem com uma doença incapacitante que o afastou de suas atividades laborais e que graças ao Hospital Regional do Tapajós pôde ter sua saúde restaurada. Minha vontade é que mais pessoas a partir de agora possam ser beneficiadas com esse tipo de cirurgia aqui no Hospital Regional”, finalizou o neurocirurgião.

Em um vídeo gravado durante sua alta, Ericlenes relatou a satisfação de ser atendido pela equipe multiprofissional do Hospital Regional do Tapajós, unidade pertencente do Estado, e que é administrada pelo Instituto Mais Saúde.

Com informações de  Moisés Sodré/Ascom HRT

RELACIONADOS

Mais Visualizados