quinta-feira, maio 23, 2024

Ex-policial militar é condenado a 84 anos de prisão pela autoria da chacina no Pará

O ex-policial militar Jemerson Alan da Silva Morais foi condenado a 84 anos de prisão, inicialmente em regime fechado, pela chacina no distrito de Outeiro, em Belém, a qual resultou em quatro mortes no ano de 2015. A pena aplicada para Jamerson foi de 21 anjos por cada uma das vítimas. O novo julgamento do acusado foi realizado no Fórum Criminal localizado no bairro Cidade Velha.

À época do crime, Jamerson era lotado no 2º Batalhão da Polícia Militar (BPM) e já havia perdido o cargo no mês de abril de 2019, quando foi condenado a 88 anos e 4 meses de prisão. Porém, o julgamento acabou sendo anulado por falta de publicação de intimação. Diante disso, a defesa do ex-militar recorreu e houve uma nova convocação para um novo júri. Jemerson continua foragido há mais de quatro anos e é representado pela Defensoria Pública.

Segundo o Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJPA), os jurados reconheceram que Jamerson foi o autor dos crimes de homicídio e agiu com dolo intenso em relação às vitimas. Ele teve a prisão preventiva decretada e a perda do cargo na PM. Ele também perdeu seu direito de recorrer da condenação em liberdade.

Novo julgamento

No julgamento desta segunda-feira, 14, o réu, mesmo sendo intimado, não compareceu à sessão. Segundo o TJPA, duas testemunhas foram ouvidas na manhã de hoje. Uma delas afirmou que o acusado, na época do crime, tinha um relacionamento com uma das vítimas e que as mortes foram motivadas por ciúmes. Além disso, uma testemunha presencial confirmou que no dia do fato, viu o réu chegando armado e efetuando disparos contra as vítimas.

Para a promotoria de Justiça, o réu foi autor de homicídio duplamente qualificado e que os crimes foram cometidos em concurso material, estabelecendo que as penas fossem somadas. A Defensoria Pública apresentou tese de formas que os jurados pudessem desclassificarem o crime de doloso para culposo devido a negligência ou imperícia para conseguir abrandar as penas.

A chacina

Na madrugada do dia 4 de maio de 2015, na Rua das Mangueiras, distrito do Outeiro, em Belém, os feirantes José Alexandre dos Santos Silva, 42 anos; Luiz Henrique Correa Santos, 40 anos; João Fernandes das Chagas, 58 anos; e Natalina Silva do Amaral, 35 anos, estava comemorando a vitória do seu clube na casa da Natalina, quando foram vítimas do atirador. José Alexandre e Luiz Henrique morreram na hora. João Henrique e Natalina chegaram a sr socorridos. João morreu horas depois e Natalina, acabou falecendo sete dias depois do crime.

Em 31 de dezembro de 2017, Jemerson foi detido, mas fugiu do Presídio Anastácio das Neves, em Icoaraci, e permanece foragido até hoje.

Com informações de RomaNews

RELACIONADOS

Mais Visualizados