ITAITUBA

CBF diz que “briga” na FPF fez Belém perder jogo da Seleção

Obras no estádio Mangueirão seguem em andamento. | Reprodução

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin

A Federação Paraense de Futebol (FPF) segue sem ter uma definição sobre quando será realizada a eleição presidencial. O processo eleitoral está atrasado desde o dia 28 de dezembro de 2021. Até o momento, já foram marcadas quatro datas para que as eleições fossem realizadas, porém, não aconteceram. Por conta disso, o futebol paraense sofreu mais um revés, envolvendo a vinda da Seleção Brasileira para o jogo de reabertura do estádio Mangueirão.

Após a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) definir o local do clássico sul-americano, entre Brasil e Argentina, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo, conforme informação divulgada pelo narrador Galvão Bueno, no programa Bem Amigos, da TV Globo – e que deverá ser confirmado oficialmente no site da entidade, nesta quarta-feira (22) – em nota, a entidade confirmou os motivos que levaram a entidade escolher a Arena Itaquerão, em São Paulo, e não o “Colosso do Benguí”, em Belém.

De acordo com documento encaminhado ao Governador do Estado do Pará, Helder Barbalho, o principal problema para que a vistoria que seria realizada na principal praça de esportes dos paraenses, prevista para acontecer no último dia 14 de julho, no qual foi cancelada pela própria entidade nacional, foi o imbróglio nas eleições da Federação Paraense de Futebol (FPF), que segue sendo comandada de maneira interina por Graciete Maués.

“A razão deste cancelamento reside no fato de que a Federação Paraense de Futebol (FPF), que é a entidade regional de administração responsável no estado do Pará, não se encontra regular perante a CBF, uma vez que ainda não foram realizadas as eleições, no prazo estipulado no estatutos da FPF, para provimento dos cargos de presidente, vice-presidentes e membros do Conselho Fiscal”, detalha o documento que é assinado pelo presidente da CBF, Edinaldo Rodrigues.

Vale ressaltar que as eleições estão agendadas para o dia 29 de junho, mesmo a entidade paraense contrariando a decisão judicial determinada pelo Tribunal de Justiça (TJ-PA), no qual exigiu a participação dos 127 votantes iniciais do colégio eleitoral, que abrange clubes profissionais, amadores e ligas esportivas. Porém, 79 instituições foram chamadas para Assembleia Geral.

Diante disso, ainda conforme o comunicado enviado pelo presidente da Confederação Brasileira de Futebol ao governador Helder Barbalho, enquanto não houver uma definição sobre o próximo presidente (cujo o pleito tem sido disputado através dos candidatos Ricardo Gluck Paul e Paulo Romano), que ficará no cargo até final de 2025, a Federação Paraense de Futebol seguirá irregular, perante a entidade nacional.

“Sendo assim, como ainda não houve o preenchimento dos cargos diretivos da FPF por meio de eleições devidamente convocadas e realizadas, a entidade local não se encontra regular perante a CBF, o que, nos termos de nosso regulamento, inviabiliza a inspeção a ser realizada, que deveria contar com a participação efetiva de membros da federação local, devidamente constituídos”, afirmou.

Procurada pela reportagem, até o momento, a presidente interina da Federação Paraense de Futebol (FPF), Graciete Maués, ainda não se manifestou com relação aos questionamentos citados.

CONFIRA OS DOCUMENTOS NA ÍNTEGRA

 

 

Obras no estádio Mangueirão seguem em andamento. | Reprodução
Com informações DOL

Atenção: Dê o crédito caso copie nossa matéria!

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin

RELACIONADAS

Brasil lidera o ranking de seleções da Fifa

Após campanha recorde nas Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo do Catar 2022, com 45 pontos conquistados em 17 jogos, a Seleção Brasileira retomou a liderança do Ranking da Fifa.

Ednaldo Rodrigues é eleito Presidente da CBF

Ednaldo Rodrigues é o novo Presidente da CBF. O dirigente foi eleito nesta quarta-feira, 23, por unanimidade entre os presentes na votação, que contou com participação das federações