quinta-feira, maio 23, 2024

Professores ocupam o prédio da prefeitura de Belterra

A ocupação começou por volta das 10:00hrs desta segunda-feira (28) no prédio da prefeitura de Belterra, no sudoeste do Pará. A manifestação contou com o apoio do sindicato dos trabalhadores da educação pública do estado do Pará (SINTEPP)

Os educadores pedem a valorização dos profissionais da educação, e questionam os reajustes referentes aos Piso Salarial e o Plano de Cargos Carreira e Remuneração(PCCR) que não foram feitos e fazem parte dos direitos dos servidores públicos.

Educadores reunidos da Prefeitura de Belterra/ Fonte: Reprodução

O não repasse dos valores a classe culminou na ocupação do prédio da prefeitura durante todo o dia desta segunda-feira. Várias faixas foram colocadas na área externa da sede do poder executivo municipal onde os educadores aguardavam uma resposta positiva.

“Mais uma vez os professores ocupando a prefeitura nesta segunda-feira chuvosa em Belterra, por mais direitos pelo piso salarial integral, pelo PCCR pela gestão democrática, a gente ainda não conseguiu uma resposta certa da secretaria municipal de educação e muito menos da prefeitura, por isso nós continuamos ocupando o prédio da prefeitura, e vamos ocupar até o final da tarde, fim do expediente”. Disse a professora Houise Rocha, representando toda a classe de educadores.

São cerca de 100 professores em greve, o novo piso instituído pelo presidente da República para este ano seria de um reajuste de 33,24%. Que ajustaria o salários dos educadores em um valor de 3.864,00 de salário base. Segundo relato dos professores, em janeiro o piso deveria ser pago, mas o valor não foi repassado.

A secretária de educação assinou a liberação dos valores para o mês de fevereiro mas os repasses também não apareceram, sem mais possibilidades de espera a classe acionou o SINTEPP e as novas negociações se iniciaram.

Um estudo foi feito neste intervalo para verificar se os recursos repassado para o fundo municipal eram suficiente para o pagamento do reajuste, e segundo secretaria de educação o resultado foi favorável, o município pode custear o pagamento dos professores sem comprometer outras áreas da educação municipal.

O prefeito Jociclélio Castro Macedo não aceitou o valor reajustado pelo governo federal e disse que só irá repassar 18% de reajuste, foi ai que a classe decidiu pela paralisação. Durante a semana vários atos serão realizados pelos professores, na tentativa de reverter a situação.

Fonte: Plantão 24Horas News

RELACIONADOS

Mais Visualizados